top of page

Ítalo e Medina criticam WSL e pedem clareza nas notas

Os critérios utilizados pelos juízes da WSL na etapa de Surf Ranch, nos Estados Unidos, foram alvos de questionamento dos surfistas brasileiros Gabriel Medina e Ítalo Ferreira nesta segunda-feira. Os dois manifestaram o descontentamento por meio das redes sociais pedindo mais clareza na definição das notas.



Italo Ferreira afirmou que o esporte precisa se desenvolver / Reprodução/Instagram


Eliminado nas quartas de final, Medina caiu para o australiano Ethan Ewing. Ítalo também reclamou da avaliação de suas notas ao ser derrotado na grande decisão para o americano Griffin Colapinto.

"A WSL precisa urgentemente esclarecer seus critérios e aplicar um julgamento justo para preservar a evolução do esporte", afirmou o surfista em parte do post que consta na sua conta do Instagram.

No seu manifesto, Medina afirma ainda que a falta de clareza nas decisões dos árbitros é uma ameaça ao crescimento do esporte. "A comunidade do surfe, especialmente a brasileira, está estarrecida com a falta de clareza e inconsistência na definição das notas já há muitos anos, mas ultimamente isso tem sido ainda mais chocante", escreveu.


Ítalo Ferreira também se manifestou. Na mensagem, ele fala da sua indignação externando a importância que o surfe tem na sua vida de atleta. "O meu intuito não é atacar, ferir, entrar no mérito e julgamento, mas o silêncio me consome. O surfe me deu e me dá tudo. Eu vivo por isso, se é que ainda preciso provar."


Vários surfistas de todo mundo também reforçaram os questionamentos à Liga Mundial de Surfe. Até mesmo Simone Medina, mãe de Gabriel, engrossou a lista dos descontentes com os jurados que trabalharam na etapa de Surf Ranch nas redes sociais.

"Vergonha define. Covardes! Vocês só conseguem parar ele assim. Mas aquele que Deus escolheu para vencer, nem vocês vão conseguir", postou a mãe do surfista nas redes sociais.


O QUE DISSE ITALO

“O meu intuito não é atacar, ferir, entrar no mérito e julgamento, mas o silêncio me consome. (...) No momento de tristeza, indignação, reverter e olhar adiante, transformar, inspirar pessoas. (...) Aprendo todos os dias que tenho que me construir, melhorar, é um processo contínuo, como atleta, e como ser humano! Parte grande disso é essa união dos meus colegas e amigos brasileiros do Tour, e de todos que estão nisso pelo surfe! (...) O foco é no desenvolvimento. O foco é no progresso. O foco é no objetivo, e que fique claro que nada se construirá contra ele em meu caminho. E se tiver dúvida, olha no meu olho!”




Com informações da Tribuna do Norte.

10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page