top of page

ABC lidera índices negativos e precisa de transformação

A esperança vendida para o torcedor do ABC, que vinha de uma temporada brilhante em 2022 e possuía projeções bem otimistas para o retorno da equipe à divisão de clubes emergentes do futebol nacional, foi bem diferente da realidade vivida pelos potiguares na competição, onde até 12 rodada, a equipe não tem nada de positivo para se destacar. Na verdade, o Alvinegro ainda não conseguiu fazer nada de positivo e provocar uma transformação no comportamento do elenco será o grande desafio do treinador Allan Aal, conhecido como uma espécie de “salva vidas” no futebol.



Devido a qualidade que dá a equipe, Matheus Anjos é uma das ausências mais sentidas no clube / Rennê Carvalho/ABC


Há quatro rodadas no comando da equipe, Allan Aal herdou números bem negativos e ainda não encontrou uma fórmula para modificar a tendência bastante negativa dos potiguares na competição. Na última colocação e sem conseguir sequer chegar perto de escapar da zona de rebaixamento, o ABC é o clube com mais derrotas (8), Menos vitórias (1) e ainda tem o pior ataque com apenas seis gols marcados. A defesa também está entre as mais vazadas com 19 gols sofridos, neste quesito ele só perde para o Avaí (21), além de Atlético-GO e Londrina (20). A situação é tão negra que só Vagner Love, do Sport, balançou a rede dos adversários mais vezes que todo o time de Aal.


Com tempo para treinar o grupo e com basicamente todo o elenco à disposição, o novo elenco vem trabalhando forte pela primeira vez visando o confronto diante do Mirassol, previsto para o domingo, dia 25 de junho. A ideia do comandante abecedista é a de pegar a base da equipe titular que vinha atuando com Fernando Marchiori, já que muitos atletas acabaram de deixar o departamento médico e unir aos reforços atrás de encontrar a formação mais competitiva possível.


A operação de salvamento iniciada vai exigir muita disposição e criatividade, uma vez que diferente do rival América na Série C, a diretoria alvinegra não reúne condições financeiras de ir ao mercado e num curto espaço de tempo contratar 18 novos jogadores.

Para acabar o Brasileiro fora da zona de degola, a equipe potiguar terá de reduzir muito a sua margem de erro e passar por uma espécie de “metamorfose”. Desde que bateu a Tombense, no dia 23 de maio, jogo de estreia de Allan Aal, a equipe não sabe mais o que é vencer no campeonato. No período, o grupo acumulou duas derrotas e dois empates, sofreu seis gols e marcou três, mas agora ele vai viajar para São Paulo sem perder a duas rodadas e sonhando com dias melhores.

O torcedor espera, principalmente, pelas entradas de Wallyson, Paulo Sérgio e Matheus Anjos no time, com a finalidade de agregar categoria ao lado de Thonny Anderson, que no período complicado que a equipe vem enfrentando, aparece como única alternativa de qualidade do meio-campo para frente.



Com informações da Tribuna do Norte.

0 visualização0 comentário

Commentaires


bottom of page