top of page

Aves encontradas mortas no litoral do RN têm resultados negativos para influenza aviária H5N1

Na noite dessa segunda-feira (29), o Governo do Estado informou, via nota, que as aves migratória encontradas mortas no litoral do Rio Grande do Norte na última semana tiveram resultados negativos para infecção pelo vírus da influeza aviária H5N1. De acordo com o poder público, as aves apareceram sem vida em Pirangi (Parnamirim), Sagi (Baia Formosa), Barra de Maxaranguape (Maxaranguape) e Búzios (Nisia Floresta).



Aves foram levadas para análise devido ao estado de emergência zoossanitária / Divulgação


A análise foi feita pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária-LFDA/SDA localizado em Campinas-SP e os resultados foram encaminhados na noite desta segunda-feira (29) ao Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária (IDIARN).

Segundo a Nota, devido ao decreto de estado de emergência zoossanitária, emitido na última segunda-feira (22) pelo Ministério da Agricultura e Pecuária, em função da detecção da infecção pelo vírus da influeza aviária H5N1 de alta patogenicidade (IAAP) em aves silvestres no Brasil, foram recolhidas e enviadas amostras para análise do Laboratório Federal de Defesa Agropecuária-LFDA/SDA.


As autoridades pedem que as pessoas que eventualmente tiveram contato com aves encontradas mortas ou doentes em área litorânea coloquem-se automaticamente em isolamento por dez dias e contatem um serviço de saúde da sua região.


O Governo do Estado também indica estas recomendações: - Não tocar, recolher, resgatar ou receber aves mortas ou doentes em área litorânea; - Caso encontre alguma ave nestas condições: doentes (cambaleantes) ou mortas, ligar para 190 ou para (84) 99147-6645 ou passar as informações para o email protocoloidiarn@gmail.com. - Cuidado com fontes de informações não confiáveis. Em caso de qualquer dúvida, consultar canais e perfis oficiais para checar a informação - Repasse essa informação aos frequentadores de praias, funcionários de hotéis, pescadores, moradores e demais envolvidos


Com informações da Tribuna do Norte.

6 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page