top of page

Brasil reencontra Japão em busca da vaga na semi do Mundial de Vôlei Feminino


Foto: Divulgação/FIVB


A tabela reservou um novo encontro. Dessa vez, porém, decisivo. No mesmo grupo na primeira fase, Brasil e Japão voltam a se enfrentar nesta terça-feira, pelas quartas de final do Mundial de vôlei feminino. Depois de levar a pior no duelo anterior, a seleção brasileira põe à prova sua evolução para seguir na busca pelo título da competição. As equipes entram em quadra às 15 (horário de Brasília), com transmissão do sportv2.


Brasil e Japão vão em busca de um lugar nas semifinais do Mundial. Na próxima fase, a equipe que vencer enfrenta quem sair do duelo da outra chave, entre Itália e China.


A seleção brasileira fez uma campanha melhor até aqui. Em nove jogos, oito vitórias e apenas uma derrota – justamente para o Japão. O time asiático, por outro lado, perdeu duas partidas, para Itália e China. No total, as duas equipes perderam apenas oito sets na competição.


O momento, porém, é outro. Desde a derrota para o Japão, o Brasil mudou de postura. Mais agressivo em quadra, enfileirou vitórias contra China, Itália, Porto Rico, Holanda e Bélgica. Ao se fortalecer na competição, se provou um dos principais candidatos ao título. Agora, tem a chance de comprovar que sua única queda até aqui foi mesmo um tropeço.


Na memória daquela partida, os erros em série. E, também, a ausência de Carol. Um dos grandes destaques do Brasil no Mundial, a central ficou fora por conta de dores na coxa direita. E fez falta. Diante de um jogo tão rápido como o do Japão, o bloqueio ganha ainda mais importância dentro do sistema brasileiro. Carol é a líder do fundamento no Mundial até aqui, com 44 pontos. Ela, porém, diz que o ponto principal é o posicionamento em quadra diante das japonesas.


- O Japão é um time muito forte, é o nosso "tendão de Aquiles" também, por conta da defesa e da velocidade. Mas acho que o time está com o Japão na cabeça, estamos estudando. Vamos com tudo, com concentração total. O que a gente mais frisa é que o nosso jogo contra o Japão não é o bloqueio. É estruturar bem, posicionar bem para a defesa jogar e ter um contra-ataque bem efetivo. A questão é se posicionar bem e ter alguma coisa organizada taticamente para que a defesa consiga subir as bolas para contra-atacar - disse a central.


Após o treino desta segunda, Zé Roberto disse que a maior preocupação, mais uma vez, é em relação à velocidade do time japonês. Para o treinador, a seleção precisa encontrar meios de quebrar o passe das rivais na partida desta terça.

- A gente espera que seja um jogo diferente (risos). O Japão está com o sincronismo bem ajustado de saída de jogo. Quando eles têm a bola nas mãos, eles estão tendo muita velocidade no contra-ataque. Essa tem sido a arma principal do time. Sempre foi a organização do sistema defensivo, de uma forte defesa que propicia a transição de contra-ataque muito rápida. Eles estão fazendo isso com uma perfeição muito grande. Precisamos melhorar nossa velocidade para ajustar melhor no momento que tivermos que defender. E, lógico, tentar quebrar o passe do Japão. Jogo muito equilibrado e difícil. Tem de ter muita paciência, como sempre - disse o técnico.

Números de Brasil x Japão

Número de jogos: 126 Vitórias do Brasil: 88 Vitórias do Japão: 38

  • Brasil e Japão já se enfrentaram uma vez nas quartas de final de um Mundial. Em 1994, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, a seleção brasileira eliminou as rivais e avançou às semis;

  • A derrota na primeira fase significou o fim de uma invencibilidade de cinco anos das brasileiras;

  • Brasil e Japão já se enfrentaram dez vezes em Mundiais, com seis vitórias brasileiras;

  • Um jogo entre Brasil e Japão em Mundiais não termina 3x0 para um dos times há 24 anos (ou 3 jogos). Em 1998, a seleção brasileira venceu as rivais por 3x0, na 2ª fase daquela edição.


4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page