top of page

Carnaval teve 14 mortes, 310 Boletins de Ocorrência e 42 flagrantes no RN

A Operação Carnaval das forças de segurança do Rio Grande do Norte registrou 14 mortes no período dos festejos neste ano, o que representa uma redução de 30% em comparação com o mesmo período de 2022, quando o Estado contabilizou 20 homicídios. Em cinco dias, de acordo com a Polícia Militar, foram apreendidas 14 armas de fogo e recuperados 16 veículos. Os militares também autuaram 36 pessoas por embriaguez ao volante e conduziram 160 pessoas às delegacias, além de outras 12 indivíduos conduzidos por violência doméstica. Nas rodovias federais, a PRF registrou 48 ocorrências, com 46 detenções e oito veículos recuperados.



Resultado da Operação Carnaval foi apresentado pela cúpula da segurança pública em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (23) / Magnus Nascimento


O chefe da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), coronel Francisco Araújo, destaca que os números “ficaram dentro do esperado” e considera que a operação foi “tranqüila”, tendo em vista que o Carnaval 2023 foi o primeiro em condições de “normalidade” após as restrições da pandemia de covid-19. “A operação teve uma maior ostensividade das forças de segurança pública, nas delegacias regionais prestando os serviços da Polícia Civil para a população, o socorrimento das pessoas com o Corpo de Bombeiros, então tivemos pleno êxito”, avalia.


A Polícia Civil registrou 310 boletins de ocorrência, sendo a maioria por furto de celulares, segundo o delegado-geral adjunto Herlânio Cruz. Alguns dos aparelhos podem ser recuperados na Delegacia Geral da Polícia Civil (Degepol), que fica no bairro de Cidade da Esperança, zona Oeste de Natal. A corporação contabilizou ainda 42 autos de prisão em flagrante delito e 33 assinaturas de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) nas delegacias fixas e nas unidades móveis espalhadas pelos municípios.


“Foi um Carnaval muito positivo. Tivemos algumas ocorrências, mas previsíveis. Tivemos redução em todos os índices, a Polícia Civil tinha efetivo em todos os pólos, no interior do Estado. Isso possibilitou um melhor atendimento à população pelas forças de segurança”, comenta Herlânio Cruz, ressaltando que, pela primeira vez, o Itep (Instituto Técnico-Científico de Perícia), esteve presente nas delegacias fazendo a identificação criminal e das drogas. “Foi um carnaval integrado e de muitos bons resultados”, completa o delegado.


Ele explica ainda que em relação aos furtos de celulares é essencial que a vítima faça o boletim de ocorrência para que o crime entre nos registros da polícia e o aparelho, eventualmente, venha a ser recuperado. “Se não fizer o registro, fica difícil até a gente fazer o levantamento da quantidade furtada, recuperar posteriormente, saber onde precisa reforçar o policiamento. Com o registro muitos celulares já são recuperados no sistema”, afirma Herlânio. Nesses casos, a vítima pode se dirigir à Degepol com documento de identificação e o IMEI do celular.


Durante o período carnavalesco, o Corpo de Bombeiros promoveu ações operacionais e educativas. Ao todo foram registradas 249 ocorrências (aumento de 8% em comparação com 2020), sendo 172 atendidas pelas centrais e 77 atendimentos nos pólos da região Metropolitana de Natal.


Os militares efetuaram sete resgates em praias, sem óbitos em regiões com Guarda-Vidas presentes. Os salvamentos ocorreram em Pipa, São Miguel do Gostoso, Miami, Barra de Maxaranguape, Pirangi e Redinha. Entre os resultados das ações educativas, ao todo foram realizadas 4.969 orientações e 3.516 advertências em áreas de atendimento do Corpo de Bombeiros em todo o Rio Grande do Norte.


“Foram ocorrências corriqueiras”, detalha o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Monteiro. “Foram embriaguez, auxílio ao público, pessoas perdidas, coisas que a gente já esperava acontecer. Foi um carnaval tranqüilo e 250 bombeiros militares fortaleceram a proteção ao público”, diz o comandante.


Ele ressalta que o Corpo de Bombeiros também atuou antes do carnaval começar com as vistorias em 57 municípios. “Tivemos algumas interdições parciais relacionadas àquelas chuvas que tivemos, mas os próprios organizadores entenderam que se tratava da segurança das pessoas”, detalha.


Polícia Penal prende 32 e detém 23


Também participando da Operação Carnaval, a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) efetuou a prisão de 32 pessoas, por mandado em aberto ou descumprimento de regras do uso de tornozeleira eletrônica, além de 23 detenções, que são quando os presos são flagrados fora do perímetro ou do horário do regime semiaberto, por exemplo. Dentro das penitenciárias não foram identificados riscos à segurança nem objetos proibidos, segundo a Seap. No período do Carnaval, a Polícia Penal realizou uma série de revistas nas carceragens dos 18 estabelecimentos prisionais do Estado. Segundo o diretor do Departamento Tático Operacional, Leonardo Alves, até o dia 26, quando se encerra a Operação Carnaval, serão realizadas por unidade, três revistas minuciosas e 30 revistas estruturais. “É importante frisar a integração das forças de segurança e o excelente serviço dos policiais penais. Conseguimos bons resultados na Operação Carnaval”, ressalta Helton Edi. O Estado tem 3.267 pessoas monitoradas remotamente, sendo 2.435 detentos do regime semiaberto. As fiscalizações ocorreram remotamente na Central de Monitoramento Eletrônico (CEME) e presencialmente nos pólos carnavalescos de todo o Estado. Além dos detentos do regime semiaberto, a CEME monitora 707 pessoas com medidas cautelares (sem condenação), 107 por medida protetiva (envolvidos em casos da Lei Maria da Penha) e 18 mulheres vítimas de violência doméstica que utilizam o botão do pânico.

Segue investigação sobre incêndios

Na quarta-feira (22), dois ônibus foram alvos de ataques de criminosos no terminal do bairro das Rocas, zona Leste de Natal. O comandante da PM, coronel Alarico Azevedo, pediu para que a Polícia Civil investigue o caso. A suspeita inicial é de que a ação pode ter sido uma represália pela morte de um homem, supostamente integrante de uma facção, em confronto com a PM horas antes do atentado. Os veículos estavam sem passageiros no momento do crime e ninguém ficou ferido. As chamas foram controladas pelos próprios funcionários do terminal. Os veículos ficaram parcialmente destruídos. “A PM se depara muitas vezes com infratores. Esses infratores que muitas vezes atiram na PM, que atentam contra a vida dos policiais, infelizmente alguns são alvejados na troca de tiros e vão a óbito. Não há informação de relação entre o cidadão que foi alvejado e a queima dos ônibus, porém foi próximo do horário. A Polícia Civil e o Itep estão fazendo a perícia para identificar o motivo real do incêndio”, diz Alarico. Os ônibus atingidos são das linhas 54 e 46. Um dos motoristas perdeu o celular queimado no meio das chamas. O fogo assustou os trabalhadores e quem passava pelo local, mas foram contidas com o uso de extintores. O Corpo de Bombeiros foi acionado para examinar os veículos, pertencentes à empresa Santa Maria.


Carnaval no RN

2023: 14 mortes 2022: 20 mortes Balanço Operação Carnaval - 14 armas de fogos apreendidas - 16 veículos recuperados - 36 pessoas apreendidas por embriaguez ao volante - 160 pessoas conduzidas às delegacias - 12 indivíduos conduzidos por violência doméstica - 48 ocorrências nas estradas (46 detenções/8 veículos recuperados) - 310 boletins de ocorrência (maioria por furto de celular) - 55 prisões (mandados em aberto/uso irregular de tornozeleiras) - 18 estabelecimentos prisionais revistados





Com informações da Tribuna do Norte.

23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page