top of page

Centros de saúde bucal recebem R$ 500 mil para digitalização

A Prefeitura de Natal, por meio da Secretaria de Saúde, submeteu proposta e conseguiu recursos de aproximadamente R$ 500 mil para digitalização de Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs). O valor faz parte do projeto Informatiza CEO, do Ministério da Saúde e será dividido entre três unidades: O Centro de Referência Odontológica Doutor Morton Mariz, Polinorte e Polioeste. De acordo com o coordenador de saúde bucal, a pasta fez adesão ao projeto e, através de envio de proposta, o recurso deve ser disponibilizado entre dezembro deste ano e janeiro de 2023. Hoje, é o dia nacional da Saúde Bucal.


Morton Mariz atende a região metropolitana. Foto: Magnus Nascimento


O projeto visa fazer repasse de R$ 14 milhões para até 380 CEOs ao redor do Brasil e serve como incentivo para implementação do Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC). A coordenação pretende iniciar o trabalho já no próximo ano. Prontuário eletrônico, cadastro de pacientes e controle de atendimento serão feitos através de computadores. De acordo com a coordenação do local, os atendimentos acontecerão de maneira mais eficaz. A digitalização possibilita a troca de informações clínicas antes os serviços, além de promover eficácia na organização de filas de pacientes e cadastros.

“No início do ano a gente vai digitalizar toda a unidade. Vai ter prontuário eletrônico, computador. Vai facilitar muito o cadastro, as filas, controle de atendimento”, explica o coordenador de saúde bucal, Rodolfo Lira. Ele continua a explicar que o recurso faz parte de um projeto maior. “Toda saúde está sendo digitalizada. Até então não existia o prontuário eletrônico para os CEOs”, complementa. Além deste projeto, mais dois serão implementados a partir do próximo ano, mas sem previsão exata.


Um é a digitalização de raios-x, chamada de fluxo digital, segundo o coordenador. “A parte de fluxo digital, da parte de raio-x, para que tudo seja digital, sem as películas. Tira o raio-x e já aparece no computador”, complementa. O ultimo é a implementação do Up Saúde, um aplicativo para contato com a população. “Receber aviso de consulta, lembrete, confirmação de agendamento de consulta”, conta. Este já foi utilizado na telemedicina durante a pandemia.


Referência


O CRO, localizado na Ribeira, realiza aproximadamente 4 mil atendimentos por mês. A unidade atende 24h para urgência, além de atendimentos especializados e de atenção básica em horário comercial, de 7h as 11h e de 13h as 17h. O centro continuou com atendimentos na pandemia de covid-19. Radiologia, cirurgia odontológica, endodontia (tratamento de canal), periodontia (atendimento para doenças de gengiva), odontopediatria, pacientes com necessidades especiais, estomatologia são as especialidades disponíveis.

A unidade abrange não só pessoas de Natal, como também da Região Metropolitana, cidades do interior do Estado, além de encaminhamentos do Hospital Walfredo Gurgel. Por isso, um dos gargalos é a falta de insumos. De acordo com a coordenadora, Sandra Raíssa, um dos principais problemas é a burocracia para compra de produtos, e a falta de disponibilidade deles no mercado. “Com a pandemia nós perdemos muitos a capacidade de compra por causa da disponibilidade dos insumos. Muitas vezes a secretaria busca a compra e não encontra matéria-prima”, comenta a coordenadora.

Além disso, a alta no valor dos insumos depois da pandemia também é uma barreira. “Como teve caso deles [fornecedores] quadruplicarem o preço, aí a gente fica em insegurança jurídica. Demora ainda mais o processo porque tem que garantir que estamos fazendo algo certo”, completa Rodolfo Lira. “Uma coisa que a gente comprava por R$ 50, agora, depois da pandemia, tá R$ 80 – 90. Temos que fundamentar bem essa compra”, finaliza Sandra Raíssa. Alta no valor de anestésico e insumos básicos dificultam a compra.


“Nós ficamos preocupados quando a gente se deparou com a realidade pós-pandemia. A dificuldade de comprar, além da oferta ter diminuído muito, o preço se elevou”, explica Sandra. Mesmo com a dificuldade, a unidade tem conseguido continuar com os serviços oferecidos em sua totalidade, através, inclusive, de permutas com outras unidades. “A duras penas, temos conseguido manter o atendimento. Graças a Deus temos conseguido driblar isso aí”, completa. Sobre os serviços oferecidos, ela avalia. “Eu acho esse atendimento do Morton Mariz, imprescindível, indispensável, importantíssimo”, finaliza a coordenadora.




Por Tribuna do Norte

6 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page