top of page

Com aproximação do verão, Sesap alerta para prevenção das arboviroses

O Rio Grande do Norte está aproximando-se do início do período de sazonalidade das arboviroses, que acontece entre os meses de novembro e maio, quando as altas temperaturas se combinam com as chuvas, o que tende a favorecer a reprodução do mosquito Aedes Aegypti. Por isso, é muito importante desde já intensificar as ações de prevenção, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap).



Divulgação


“As notificações das arboviroses em 2023 diminuíram muito em relação ao ano passado, que foi um ano epidêmico, mas as arboviroses continuam a ocorrer no estado e, por isso, é importante mantermos os cuidados de prevenção, para evitar a formação de criadouros do mosquito", explicou coordenadora do Programa de Controle das Arboviroses da Sesap, Sílvia Dinara.


Por meio de medidas simples, é possível evitar a formação de criadouros do mosquito nas residências e locais de trabalho. Assim, é importante observar os locais que possam acumular água parada, como bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso. É recomendado também manter os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito, esfregar com bucha as vasilhas ou reservatórios de água dos animais, não colocar lixo em terrenos baldios e manter as caixas d´água sempre tampadas. A pessoa também deve observar vasos e pratos de plantas que acumulam água parada, manter em local coberto pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água, além de receber a visita do agente de endemias, aproveitando a oportunidade para tirar possíveis dúvidas.


Boletim


A Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica e a Coordenação Estadual das Arbovirores da Sesap divulgaram nessa terça-feira (10), o mais recente boletim epidemiológico das arboviroses no RN. O boletim refere-se ao período compreendido entre a Semana Epidemiológica 1 até a 39, encerrada em 30 de setembro.

Segundo o boletim, foram notificados 10.111 casos de dengue no estado. Desses, 2.039 casos foram confirmados, 6.553 casos considerados prováveis, 3.558 descartados e um óbito confirmado. A incidência apresentada foi de 184,03 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Com relação à Chikungunya, foram notificados no RN, 3.227 casos da doença, sendo confirmados 538 casos, 2.183 casos considerados prováveis, 1.044 descartados e um óbito confirmado. A incidência foi de 61,30 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Já no que diz respeito à Zika, foram notificados 1.238 casos da doença, sendo confirmados 161 casos, 840 casos considerados prováveis, 398 descartados e nenhum óbito confirmado. A incidência foi de 23,59 casos prováveis por 100 mil habitantes.

"Em caso de sintomas de arboviroses, também é fundamental que as pessoas procurem o quanto antes um serviço de saúde, para possibilitar o início da assistência em tempo oportuno, bem como para que os profissionais possam notificar os casos e essas informações sirvam para direcionar as ações de vigilância e as decisões nos serviços de saúde”, reforçou Silvia Dinara.



Tribuna do Norte.


4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page