top of page

Crea alerta condomínios do RN sobre riscos de incêndio


Nos últimos 12 meses, pelo menos cinco ocorrências relativas a incêndios foram registradas em Natal e na Grande Natal - Foto: Reprodução


Pelo menos 5 incêndios em condomínio de Natal e Grande Natal chamaram a atenção nos últimos 12 meses. Esse é um dos principais incidentes que têm preocupado o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do RN (Crea-RN).


Neste sentido, todos os condomínios do Rio Grande do Norte vão receber recomendação da entidade para informar e tomar medidas que garantam a segurança contra incêndios e sinistros de uma forma geral. A iniciativa faz parte de uma campanha que conta com alertas e informações educativas, fruto de um levantamento elaborado pelo Conselho e que apontou o alto número de incidentes relacionados à falta de manutenção preventiva.


De acordo com o gerente de Fiscalização da entidade, Heulyson Arruda, trata-se de um trabalho educativo e de orientação para chamar atenção dos administradores e dos síndicos sobre a importância de realização de serviços técnicos, de engenharia e manutenção preventiva dentro dos condomínios. “Envolve, por exemplo, manutenção de geradores, de elevadores, do sistema de proteção contra raios, central de gás, sistema contra incêndios que é um dos principais. São nove serviços definidos através do levantamento do nosso banco de dados cruzando com os CNPJs”, explicou.

No mês passado, um apartamento no oitavo andar de um edifício na avenida Abel Cabral, em Nova Parnamirim, em Parnamirim, na Grande Natal, sofreu um incêndio. Outros casos já tinham ocorrido neste ano, como no mês de maio quando o fogo causou a evacuação de um prédio, num condomínio do mesmo bairro e outro em Capim Macio, na zona Sul de Natal, quando um apartamento ficou destruído no terceiro andar de um prédio.

Meses antes, em março, outro incêndio tinha sido registrado num condomínio do bairro Parque das Nações, em Parnamirim, assim como ocorreu em novembro de 2022, num residencial do bairro de Lagoa Nova, em Natal. Em nenhum desses casos houve feridos.

Mas além do fogo, esses empreendimentos também podem sofrer por incidentes na sua estrutura. Em maio de 2022, por exemplo, a Defesa Civil de Natal interditou um bloco de 28 apartamentos num condomínio no bairro Planalto, na Zona Oeste, por conta de rachaduras apresentadas na estrutura. Todos os moradores precisaram desocupar o local.

Com isso, o gerente do Crea/RN diz que foi verificada a situação de cada condomínio do estado. Nos comunicados que estão sendo enviados aos administradores, são apontados os registros de manutenções não realizadas nos últimos três anos. Após o recebimento, a administração do empreendimento tem 30 dia para providenciar os serviços ou apresentar comprovante de que já foram realizados. “Vamos chegar a algo em torno de 4 mil condomínios. Somente em Natal serão 1.300”, comenta o gerente.

Caso não haja um posicionamento dos condomínios, O CREA partirá para uma fiscalização in loco. Persistindo as pendências de manutenção e, se caso o condomínio não tomar nenhuma providência, o Crea vai encaminhar para outros órgãos, como o Corpo de Bombeiros e Ministério Público. “A gente não pode obrigar que o serviço seja feito. A gente está orientando enquanto órgão de fiscalização técnica, apontando os normativos que realmente são necessários, a periodicidade para que façam essas manutenções”, conta Heulyson Arruda.

A ideia é manter esse formato para os próximos anos, num monitoramento constante devido ao indicativo de crescente de incêndios e outros sinistros.

Há uma preocupação também porque há empresas que não dispõem de profissionais habilitados, com competência para exercer serviços técnicos de engenharia, colocando em risco a população. A fiscalização do Crea-RN também pretende identificar essas empresas para coibir o exercício ilegal de empresas clandestinas.



Tribuna do Norte.

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page