top of page

Detran aplica 24,6 mil multas em 2 meses após instalação de radares

Os novos radares de controle de velocidade instalados entre o fim de 2022 e início deste ano já aplicaram 24,6 mil multas em dois meses, em Natal. Os dados foram obtidos com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RN) e são referentes ao período de janeiro a fevereiro deste ano, quando todos os radares já estavam funcionando simultaneamente nos cinco pontos (detalhes no box). O órgão ainda não finalizou o levantamento de março. Em algumas vias, como a Engenheiro Roberto Freire, a detecção de infrações cresceu 2.095% de um mês para o outro. De acordo com o Detran, aumento das multas faz parte do processo de adaptação do motorista.



Motoristas reclamam da quantidade de multas aplicadas / Adriano Abreu


O analista de trânsito do Detran-RN, José Adécio Filho, diz que o cenário terá uma imagem mais fidedigna em um intervalo maior de observação. “A tendência natural é cair, até se estabilizar com oito meses, dez meses, um ano. Sempre vão ter aqueles cidadãos que, infelizmente, infringem as leis de trânsito. O radar não é colocado para multar, tanto que se você atender a lei, que é a velocidade da placa, você não vai ser multado. A gente tem que agir com poder de polícia que é dado ao Estado para obrigar o motorista a reduzir a velocidade e diminuir os índices de acidentes”, destaca.


Entre janeiro e fevereiro, o número de multas aplicadas pelos novos controladores quase dobrou. Ainda segundo os dados do Detran-RN, as infrações cresceram 98,5%, passando de 8.259 em janeiro para 16.398 em fevereiro. O órgão de trânsito argumenta que os números devem cair à medida que os motoristas se acostumem com a nova dinâmica de tráfego. Por outro lado, motoristas reclamam de falta de sinalização, ausência de campanhas de educação anteriores à implementação dos radares e condições precárias das rodovias.


O motorista de aplicativo Francinildo Ferreira diz que a falta de sinalização adequada acaba causando diversas multas, sobretudo na Roberto Freire. “As placas muitas vezes ficam muito próximas dos radares. Por exemplo, uma placa pede 40 km/h numa região, depois outra diz que é 80 km/h e logo na frente tem um radar que é 40 km/h. Muitas vezes a gente leva multa por isso. Não é questão de desrespeitar a lei, a gente tem que ter mais segurança mesmo, mas desse jeito é imoral. Além disso, para pagar uma multa é uma dificuldade, uma burocracia sem tamanho no Detran”, reclama.

Na avaliação do marceneiro Geraldo Bezerra, a falta de informação sobre os radares é um dos fatores para o aumento das multas. “A gente não fica sabendo com antecedência, isso deveria ser uma campanha constante do Detran. A gente descobre só quando chega a multa. A informação, a divulgação é importantíssima. Já levei algumas multas por isso. A falta de segurança é outro fator porque tem semáforo que não dá para parar à noite porque senão a pessoa é assaltada”, questiona o motorista.

O Detran-RN foi questionado sobre os valores arrecadados com as multas, mas o órgão não soube informar o quantitativo. No entanto, o analista de trânsito José Adécio Filho explicou que o Detran-RN está fazendo o levantamento dos valores, bem como a destinação dos recursos. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), as multas por excesso de velocidade variam de R$ 130,16 a R$ 880,41. O engenheiro José Adécio explica que cerca de 30% das multas aplicadas são “perdidas”, o que dificulta o cálculo da arrecadação.


“Historicamente, de 70% a 80% das multas são quitadas e o restante se perde. O motorista não paga, como, às vezes, não paga IPVA, como não paga o licenciamento obrigatório. Infelizmente a gente tem um histórico de que esses carros vão para o interior continuar rodando sem regulamentação, com excesso de multas”, detalha.

Os radares começaram a funcionar em dezembro último nos dois pontos prioritários: Via Costeira e João Medeiros Filho. Em seguida, em janeiro, os equipamentos da Roberto Freire, prolongamento da Prudente de Moraes e Rota do Sol entraram em operação. Inicialmente, os controladores tinham previsão de começar a funcionar em agosto, mas a iniciativa precisou de adiamento.




Com informações da Tribuna do Norte.

16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page