Empresas devolveram um terço das linhas de ônibus de Natal desde o início da pandemia


Foto: Igor Jácome


Desde o início da pandemia da Covid-19, as empresas que fazem o transporte público de Natal devolveram um terço das linhas de ônibus que existiam na capital potiguar, de acordo com dados da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU). 28 linhas deixaram de circular, desde então.


O número caiu de 83 linhas em 2020 para atuais 55, segundo a STTU. A redução é de 33,7%. Quatro linhas deixaram de circular no último fim de semana:

  • 593 - Circular residencial Redinha/Panatis CIRCULAR RESIDENCIAL REDINHA/ PANATIS

  • 68 - Alvorada IV/Parque das Dunas

  • 33B- Planalto/Lagoa Seca

  • 76 - Felipe Camarão - Parque das Dunas


Desde o anúncio do aumento de 25% no preço do diesel neste mês de março, as empresas ameaçaram reduzir a frota e até devolver a operação de linhas à prefeitura por alegarem não conseguir lidar com o custo do combustível.

Entre as alternativas sugeridas pelos empresários, estava o Poder Público subsidiar parte da operação ou aumentar a tarifa da passagem. Uma reunião sobre o assunto foi realizada na segunda-feira (21) e a prefeitura decidiu prorrogar a isenção do ISS cobrado. Um projeto de lei sobre o assunto deve ser enviado à Câmara Municipal ainda nesta semana, segundo o Poder Executivo.


Atualmente a tarifa de ônibus em Natal custa R$ 3,90 para quem usa cartão, e R$ 4 para tarifa inteira. Pelos cálculos dos empresários de ônibus, a tarifa técnica, usada para cobrir todos os custos do sistema, seria de R$ 5,60. Com a redução do ISS, baixaria para R$4,80. Ainda seria necessário, portanto, que o município subsidiasse parte desse valor.

A STTU vai fazer o próprio cálculo tarifário e apresentá-lo em duas semanas, em uma nova reunião.


Natal nunca teve licitação do transporte público. O município tinha previsão de publicar o edital da licitação em março, mas adiou para "recalcular" o preço da tarifa.


INFORMAÇÕES G1 RN

19 visualizações0 comentário