top of page

Enfermeiros protestam contra decisão de Barroso que suspendeu piso salarial da categoria

Decisão monocrática e temporária do ministro vai ser analisada pelos demais magistrados, em plenário, nesta sexta-feira

Enfermeiros protestam em Brasília no 7 de setembro contra a decisão monocrática e temporária do ministro Luis Roberto Barroso, do STF, que suspendeu o piso salarial da categoria


Em meio a uma esplanada pintada de verde e amarelo, uma multidão de branco ganhou destaque. Os profissionais de enfermagem usaram faixas e cartazes, pedindo o fim da suspensão do piso salarialda categoria determinado de maneira monocrática e provisória pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.


“Estamos na rua, Barroso a culpa é sua”, gritaram. O protesto aconteceu no eixo monumental, no lado oposto aos desfiles do Dia da Independência. Desde que a regulamentação do piso salarial foi suspenso pelo STF, entidades que representam a categoria se mobilizam.


Em Cuiabá, no Mato Grosso, também houve manifestação com jalecos e palavras de ordem contra Barroso; em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, a decisão do STF afeta 29 mil enfermeiros. O Conselho de Enfermagem tenta reverter a decisão sobre a demanda, que é histórica para a categoria. Nesta sexta-feira, 9, o plenário do STF vai analisar a questão para determinar se mantém a suspensão ou não.


Já aqui em Natal, o protesto em prol do piso nacional da enfermagem acontecerá nesta sexta (09/09).


Enfermeiros e enfermeiras que atuam no Rio Grande do Norte vão participar de uma mobilização articulada nacionalmente para reivindicar a implantação do piso salarial da categoria. Em Natal, a manifestação vai acontecer na calçada do shopping Midway Mall, nesta sexta (9), a partir das 15h.


Na capital, os membros do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindsaúde/ RN), do Sindicato dos Enefremeiros do (Sindern) e as pessoas associadas a Conselho Regional de Enfermagem do RN (Coren), votaram pela realização do protesto.


O presidente da República sancionou no dia 4 de agosto a lei que garante uma remuneração mínima, nacionalmente, para enfermeiros, parteiras, técnicos e auxiliares de enfermagem. A medida prevê um piso de R$ 4.470 para enfermeiros, já técnicos devem receber 70% desse valor e parteiras e auxiliares, pelo menos, 50%.


No entanto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, suspendeu o reajuste no último domingo (4), até que seja feito um levantamento sobre os impactos financeiros sobre estados, municípios e hospitais. O ministro do STF deu um prazo de 60 dias para que federações e entidades do setor se manifestem sobre a capacidade de pagar o piso.


A suspensão é uma resposta a uma ação apresentada pela Confederação Nacional de Saúde, Hospitais e Estabelecimentos e Serviços que alegou a possível “demissão em massa”, caso o piso seja implantado.


Imagem retirada da internet


Fonte: Saiba Mais


6 visualizações0 comentário

Bình luận


bottom of page