top of page

Flamengo leva o título da Copa do Brasil nos pênaltis

A Copa do Brasil é do Flamengo pela quarta vez. O time bateu o Corinthians nos pênaltis diante de 68 mil torcedores no Maracanã e garantiu assim o tetracampeonato do clube. Fagner, com um chute no travessão, e Mateus Vital, com um chute a la Roberto Baggio, desperdiçaram as cobranças. Rodinei fez o gol decisivo, após empate por 1 a 1 no tempo normal.

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo


O empate sem gols no jogo de ida havia deixado a decisão sem nenhum grande favorito, mas à boca pequena todos no Rio - e provavelmente a maioria Brasil afora - davam como certo o título para o Flamengo. Afinal, o time jogava em casa, onde conta com ótimo retrospecto, e ia para a final com um elenco, entre titulares e reservas, mais qualificado.

A questão é que, do outro lado, tinha o Corinthians. E, ainda que reconhecesse as dificuldades, o time não estava disposto a ir para o jogo como mero coadjuvante. O técnico Vítor Pereira sabia que, assim como fora na primeira partida, era possível equilibrar forças com um time atento e bem postado. E desequilibrar com alguma surpresa.


A surpresa veio na escalação. Quando se esperava uma formação tradicional, o treinador optou por colocar o lateral Lucas Piton na vaga do meia Adson, recuar Fábio Santos para uma linha de três defensores e, assim, dar mais força ofensiva pelas alas.

O problema é que a estratégia começou a ruir com apenas seis minutos. Mesmo o povoado setor defensivo corintiano não foi capaz de evitar uma rápida troca de passes entre Arrascaeta, Everton Ribeiro e Pedro, que concluiu a jogada tocando na saída de Cássio. O gol que fez explodir o Maracanã foi seu 28º na temporada.

Também não funcionou porque Piton parecia em outra rotação. Ainda que Rodinei lhe concedesse generosos espaços pelo lado esquerdo, o lateral corintiano passou os primeiros 30 minutos sem conseguir concatenar as jogadas. Só foi se encontrar em campo na reta final.

Com o revés no placar e a demonstração de inoperância do primeiro tempo, Vítor Pereira desistiu da surpresa e retornou com o básico para a etapa final, com Adson no meio e com Fábio Santos de volta ao lado do campo.

A mudança surtiu efeito. O Corinthians passou os primeiros dez minutos no campo de ataque e conseguiu exercer alguma pressão. O que o time não conseguiu foi concluir, porque Roger Guedes não saía do flanco esquerdo, Yuri Alberto não saía do encalço de David Luiz, e Renato Augusto não conseguia espaço para seus chutes da entrada da área.


Mas a história da final começaria a mudar aos 30, quando Giuliano e Mateus Vital entraram em campo. Seis minutos mais tarde, foi Vital quem iniciou a jogada que culminou no gol de Giuliano, que alcançava Germán Cano na artilharia da Copa do Brasil e levava a decisão para os pênaltis.


Nos pênaltis, o torcedor do Corinthians começou em festa, após Cássio defender a cobrança de Filipe Luís. Fábio Santos, Giuliano, Renato Augusto, Yuri Alberto e Maycon também converteram, enquanto Fagner bateu a segunda no travessão. David Luiz, Leo Pereira, Everton Ribeiro, Gabriel Barbosa e Everton Cebolinha deixaram tudo igual. Aí, Mateus Vital isolou e Rodinei marcou o gol do título

Mais do que o tetracampeonato da competição, o título dá ao Flamengo uma vaga direta à fase de grupos da Libertadores do próximo ano e forra os cofres do clube com R$ 60 milhões em premiação - fora tudo o que se arrecadou nas fases anteriores. E coloca na história da competição o nome do Flamengo como o merecido campeão de 2022.


VIOLÊNCIA


Classificada como de alto risco pelos órgãos de segurança do Rio, a final da Copa do Brasil no Maracanã teve registros de violência e tentativa de invasão antes de a bola rolar. No fim da tarde, alguns ônibus que levaram torcedores do Corinthians à capital fluminense foram apedrejados num bairro próximo ao estádio. E, horas antes da partida, a polícia precisou conter tentativas de invasão ao estádio tanto por parte de corintianos, quanto de flamenguistas.

O ataque aos ônibus aconteceu em uma via do bairro de Benfica, na zona norte do Rio. Pelo menos um dos coletivos teve um vidro quebrado, mas até às 20 horas não havia informações sobre eventuais feridos.

Já no Maracanã, 14 corintianos foram presos por agentes do Batalhão Especializado em Policiamento em Estádios (Bepe) após o grupo tentar invadir o estádio pelo portão 10, destinado à imprensa. O caso aconteceu pouco depois das 19h.

O local fica bem ao lado da área destinada aos torcedores do Corinthians para a final desta quarta-feira. O grupo aproveitou a aglomeração de torcedores para tentar entrar pela área destinada aos jornalistas, mas foi detido pelos policiais. Eles foram encaminhados ao Juizado Especial Criminal.



Por Tribuna do Norte

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page