Fortes chuvas no RN, um dilema entre fartura para o sertanejo e o medo dos alagamentos urbanos

Nos últimos dias, as chuvas têm se intensificado não só em Natal, mas em todo o Estado do Rio Grande do Norte. As chuvas, principalmente no Nordeste, sempre foram recebidas como sinônimo de esperanças, especialmente para o sofrido homem do campo que vê a possibilidade de produzir os alimentos básicos para sua sobrevivência, tais como feijão, milho e arroz, além da possibilidade de novas pastagens para o alimento dos animais.


Além disso, a chuva traz a água para o reabastecimento dos reservatórios, o que oferece tranquilidade para os agricultores e mobiliza o agronegócio, desenvolvendo a economia e produzindo fartura na produção de vários alimentos e na circulação de renda.


Entretanto, as chuvas acima da média no RN, também vem enchendo a população de preocupações, já que estão provocando alagamentos nas ruas e vielas urbanas e nas estradas que permitem a mobilização no Estado e os transtornos para o trânsito em decorrência de buracos, crateras, desmoronamento de casas e até soterramentos de veículos. Além das chuvas entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, os ventos intensos (60-100 km/h), vêm aumentando os riscos de corte de energia elétrica, quedas de galhos e das próprias árvores e das descargas elétricas.


No Rio Grande do Norte, principalmente nas últimas 48 horas, choveu de forma uniforme em todo Estado, mas, em algumas cidades, os pluviômetros marcaram intensidades de chuvas bem acima da média. Por exemplo, nas cidades de Mossoró (127,5mm), Afonso Bezerra (124,6mm) e Angicos (115,0mm) apresentaram volumes mais elevados, chagando a ultrapassar os 100 milímetros.


O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) vem alertando sobre a possibilidade de chuvas intensas no Estado do Rio Grande do Norte, inclusive com potencial de perigo para várias cidades potiguares, com riscos de alagamentos, deslizamentos de encostas e de transbordamentos de rios.


Nessa segunda-feira (23), a Assessoria de Comunicação do Inmet informou que as chuvas poderiam persistir no leste da Região Nordeste, em especial no Rio Grande do Norte e emitiu previsão de que “Ao longo de toda essa semana (23 a 28/05), as chuvas serão persistentes no leste da Região Nordeste do Brasil, sendo que os maiores totais poderão ser registrados, principalmente nos litorais entre Pernambuco e o Rio Grande do Norte. No interior da região, as chuvas serão mais fracas, porém, não se descarta, de modo mais pontual, acumulados elevados também na zona da mata e agreste”.


Recomendações dos órgãos de Defesa Civil

- Manter telhados reforçados e calhas limpos, evitando entupimento e escoamento das aguas;

- Remover árvores ou galhos secos que possam vir a cair sobre a sua residência em caso de ventania;

- Evitar jogar lixo na rua fora do horário de coleta. Ele pode entupir bueiros, boca de lobo, rios e obstruir o escoamento da água;

- Depositar o lixo em áreas não sujeitas a enxurradas, a inundações e alagamentos;

- Limpar também ralos e drenagens de rede pluvial;

- Evitar trafegar em pistas inundadas, alagadas e próximo de córregos, de encostas e de morros;

- Observar as placas de indicação de alagamento da Defesa Civil;

- Parar o veículo se a chuva estiver muito forte;

- Não se abrigar debaixo de árvores e nem estacionar os veículos;

- Procurar um lugar seguro para se alojar em caso de inundação;

- Nos estabelecimentos comerciais em áreas sujeitas a alagamentos, colocar os móveis e estoques de mercadorias em lugares altos;

- Não beber água de enchente ou inundação;

- Desligar os aparelhos elétricos das tomadas e o gás;

- Em caso de aparecimento de fendas, de depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas, avisar imediatamente para a Defesa Civil;

– No decorrer da chuva, não permanecer em áreas abertas como campos de futebol, quadras de tênis e estacionamentos;

– Evitar se aproximar de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos;

– Estando chovendo, nunca se abrigue debaixo de árvores isoladas;

– Evitar estacionar próximo a árvores ou linhas de energia elétrica;

– Evitar estruturas altas tais como torres, de linhas telefônicas e de energia elétrica;

- Estando dentro de casa, não usar telefone com fio, não ficar próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas e evitar usar equipamentos elétricos molhados ou que estejam ligados à rede elétrica.



Foto: Elisa Elsie/EMPARN/ASSECOM


4 visualizações0 comentário