top of page

Gasolina é vendida a R$ 5,99 em 90% dos postos de Natal, diz Procon

O preço do litro da gasolina é vendido a R$ 5,99 em 90% dos postos de Natal, segundo estimativas do Instituo de Proteção e Defesa do Consumidor do RN (Procon RN). De acordo com um levantamento feito pelo órgão na última semana de maio, no entanto, o valor médio do litro nos pontos de abastecimento da cidade era de R$ 5,37. Por causa da alta, o Procon já autuou 36 postos desde o dia 1º de junho, e segue com as fiscalizações na capital. O órgão afirma que, com as autuações, os revendedores precisam justificar o aumento e, em caso de comprovação de abusos, os estabelecimentos serão multados.

Aumento do preço da gasolina pode estar relacionado a problemas de abastecimento, segundo o Sindipostos / Alex Régis


“As fiscalizações seguem acontecendo. O Procon faz a autuação e, a partir delas, são gerados processos administrativos, com direito à ampla defesa e contraditório. O processo é tramitado para, em seguida, ser aplicada a sanção administrativa. Se houver o entendimento de prática abusiva, a multa será aplicada”, explica o subcoordenador do órgão estadual, Oberdan Medeiros.


Até o momento, nenhuma das 36 autuações se converteu em multa, uma vez que os processos ainda estão em tramitação. Após a data da autuação, os estabelecimentos têm um prazo de 10 dias corridos para apresentar a justificativa do porquê do aumento, a qual será analisada pelos setores competentes do Procon. Segundo o órgão, toda a tramitação do processo leva, em média, um mês para ser finalizada. O prazo pode ser reduzido ou estendido a depender da demanda própria.

O Procon disse que vai apurar o que tem motivado o aumento. “Esses postos serão autuados, mas o valor só será definido como abusivo a partir das fiscalizações feitas por meio de documentação fornecida pelos revendedores. A gente identificou que a Refinaria Clara Camarão [em Guamaré] majorou o valor de venda do combustível, por exemplo. Nós vamos avaliar se a média na capital já mudou com o aumento divulgado pela refinaria”, afirma Medeiros.


Desde a última quinta-feira (8), o litro da gasolina vendido às distribuidores do Rio Grande do Norte está, pelo menos, R$ 0,23 mais caro – passou de R$ 2,68, conforme consta na tabela de preços da Petrobras, para R$ 2,91, de acordo com o preço divulgado pela 3R Petroleum. A data marca o início da operação da 3R no Polo Potiguar, após a conclusão do pagamento da compra feita pela empresa à estatal. Com isso, a Refinaria passou a ter gestão privada.

Para Maxwell Flor, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Rio Grande do Norte (Sindipostos/RN), são dois os fatores que podem ter feito com que a gasolina tivesse os preços elevados nas bombas em Natal. Um deles foi o bombeio às distribuidoras, que ficou comprometido porque a refinaria não conseguia adequar a gasolina para venda com insumos locais.

“A Clara Camarão importa de outros estados alguns ingredientes para chegar à composição ideal da gasolina e teve problemas de suprimento há cerca de duas semanas. Com isso, alguns revendedores foram comprar o combustíveis lá fora, principalmente em Pernambuco”, pontua Maxweel Flor, ao citar que o reajuste anunciado pela 3R Petroleum também poder ter influenciado no aumento observado nas bombas nos últimos dias.

Questionado se, em função da elevação na refinaria de Guamaré, os revendedores do RN irão passar a comprar gasolina em outros estados, Flor disse que é preciso analisar cada situação. “Primeiro, os revendedores bandeirados só vão poder comprar gasolina em outros estados com autorização da distribuidora fornecedora. Já os postos de marca própria são livres para fazer uma cotação com distribuidores daqui e de outros estados. Isso será uma facilidade para comprar mais barato, mas tem um adendo: existe a possibilidade de que o frete fique mais caro e isso precisa ser analisado”, explica.


Consumidores


Na capital, o aumento da adesão de postos à venda do litro da gasolina a R$ 5,99 tem gerado muita reclamação entre os consumidores. Para quem trabalha diariamente com o carro, o jeito é pesquisar para encontrar um local mais barato para abastecer, algo que nem sempre é possível. Foi o que aconteceu com o motorista por aplicativo Lucas Maia, de 22 anos. Ele conta que está sempre em busca do melhor preço, mas nesta segunda-feira (12), teve que parar em um posto cujo litro custava o valor elevado.

“Eu abasteço, geralmente, em locais com preço melhor, como fiz hoje pela manhã em Cidade Nova [na zona Oeste], onde a gasolina estava R$ 5,30. Só que agora à tarde eu vim para uma corrida aqui do lado e, para não ter que ir até lá, resolvi parar nesse estabelecimento, onde o preço não está tão bom”, disse ele, ao abastecer em um posto na Prudente de Morais, a R$ 5,99. Madson Santos, de 31 anos, é colega de trabalho de Lucas e diz que o aumento gera impactos nos ganhos no final do dia.

“Se a gente abastecer com esse valor, o reflexo é de R$ 30 a R$ 40 no nosso ganho. Passo os dias vendo os preços para ir para o posto mais barato. Quando não consigo fazer isso, coloco um pouco de gasolina onde está mais caro para completar depois em um lugar onde o valor está em conta”, relata Madson. O músico Benaldo Fortunato, de 47 anos, também reclama e avalia que não outra saída a não ser pesquisar.


“Eu não considero os aumentos abusivos, mas também não acho que é normal. O jeito é pesquisar para depois abastecer. Já encontrei a R$ 5,39, no Planalto [zona Oeste], mas parei aqui por uma questão de praticidade, já que estou indo para a zona Sul”, explica o músico, enquanto abastecia na Prudente. Além da via, a TRIBUNA DO NORTE percorreu, na tarde desta segunda, as avenidas Salgado Filho e Hermes da Fonseca. Os preços nesses locais variavam entre R$ 5,95 e 5,99, com prevalência do valor mais alto.




Com informações da Tribuna do Norte.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page