top of page

Geração distribuída deve ter aumento de 30%

O Fórum de Geração Distribuída, que começou nesta quarta-feira (28) no Centro de Convenções de Natal, chega com notícias animadoras para o setor. De acordo com o CEO do Grupo FRG Mídias e Eventos, Tiago Fraga, o propósito do evento é aumentar em cerca de 30% o número de conexões de GD até o final deste ano a partir nos novos negócios e relações estabelecidas entre empresas no evento. Segundo levantamento do Observatório da Energia Solar em parceria com a Associação Potiguar de Energias Renováveis (APER), o RN possui cerca de 45,7 mil sistemas conectados a rede em geração solar distribuída. O segmento prevê aumento nos próximos anos.


Fórum de Geração Distribuída segue nesta quinta-feira / Magnus Nascimento


“Nós esperamos, principalmente, o aumento do número de conexões aqui no Estado e também na região, bem como do potencial instalado. Por isso que nós trouxemos para Natal os principais atores da Geração Distribuída. Nosso principal objetivo é impulsionar o consumo somente de fontes limpas e renováveis e também a auto produção de energia”, comenta Fraga.


Segundo o presidente da APER, Cassio Maia, o RN chegou a estabelecer, nos últimos meses, média de 1 mil conexões por mês. A estimativa é que esse número chegue, em média, a 1,4 mil conexões até o final do ano e o fórum deve contribuir para o crescimento. “A gente acredita, sim, que esse evento tem muito a somar porque a gente acaba trazendo muitas novidades para o mercado”, afirma.


Com relação a potência instalada, o Rio Grande do Norte chega a quase 500GW, sendo Natal a principal cidade em potência, com quase 90MW em GD, segundo levantamento apresentado pelo presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), Guilherme Crispe. Mesmo com números animadores, ainda existe expectativa de mais evolução dentro do Estado.


“O RN vem se desenvolvendo bastante como os demais estados do País. Os resultados são muito interessantes em nível nacional. Ainda tem um espaço muito bom para o RN continuar crescendo com a GD. Então, assim, o resultado técnico e energético é muito bom, acho que vale a pena apostar nessa possibilidade de geração”, comenta Crispe.


Para Maia, o cenário da energia renovável no RN, assim como em outros estados do País passa por estabilização. A alta demanda e procura por novos sistemas no final de 2022 gerou antecipação e queda na procura no primeiro trimestre de 2023, de acordo com ele. “É bem verdade que essa alta demanda ocasionou, no início desse ano, uma baixa procura porque teve uma antecipação da procura dos projetos de energia solar por condições de mercado. Logicamente, essa retração que tivemos esse ano nas vendas se refletiu um pouco na quantidade de conexões”, analisa.


No entanto, a estimativa é que o segundo semestre traga crescimento. “A expectativa é que, para o segundo semestre, a gente volte a ter um crescimento e consiga estabilizar”, completa. De acordo com levantamento do Centro de Estratégias em Recursos Naturais, no RN, são cerca de 200 pequenas empresas que atuam na área.


O evento continua nesta quinta-feira (29) reunindo os principais investidores e empresários da área, além de especialistas e representantes da ABDI para debater a produção da micro e minigeração de energia através de fontes renováveis. Membros do poder público também devem se fazer presentes.



Com informações da Tribuna do Norte.

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page