Governo decreta emergência em 15 cidades por causa das chuvas no RN; estado tem 3 mil desalojados



O Governo do Rio Grande do Norte anunciou que vai declarar situação de emergência em 15 municípios do estado por causa dos efeitos causados pelas chuvas desde o início de julho. A situação se agravou nesta sexta-feira (8), com mais chuvas na Leste potiguar. A Defesa Civil estima 3 mil pessoas desalojadas.


Inicialmente, o número anunciado era de 14 cidades, mas o dado foi atualizado pelo governo por volta das 14h30. A publicação do decreto foi confirmada no início da tarde desta sexta-feira (8) pela governadora Fátima Bezerra (PT). Ainda de acordo com ela, o documento deverá ser oficializado ainda nesta sexta-feira (8) em edição extra do Diário Oficial do Estado. "Estamos oficiando tanto o Ministério da Defesa como o Ministério do Desenvolvimento Regional acerca dos impactos provocados pelas chuvas aqui no Rio Grande do Norte, solicitando apoio para que o estado possa chegar junto aos municípios, ajudar os municípios a enfrentarem esses impactos", declarou a governadora. Fátima ainda afirmou que o conversou com o Comando Militar do Nordeste e o Exército se colocou à disposição para colaborar com o estado, por meio de cessão de pessoal e máquinas. Uma comissão estadual foi formada para coordenar as ações e manter o diálogo com as forças armadas.


Segundo a Defesa Civil, o Exército disponibilizou pessoal, pontes modulares, caminhões, bombas e outros equipamentos de acordo com a necessidade encontrada pelas equipes estaduais em campo.


Em entrevista coletiva realizada no início da tarde desta sexta-feira (8), a Defesa Civil afirmou que o estado tem pelo menos 62 mil pessoas afetadas pelas chuvas no estado e cerca de 3 mil pessoas desalojadas, mas o número deverá aumentar nas próximas horas e dias.


"Esse número crescerá exponencialmente, porque ainda não estavam no primeiro grupo municípios como Nova Cruz, Montanhas, Várzea e Canguaretama. Neste momento, nosso principal foco e atenção está na calha do Rio Curimataú. Nós tivemos no fim de semana passado municípios mais afetados ao norte do litoral. Agora tivemos muito mais afetados ao Sul, pegando a região do Trairi e Agreste. A calha do Rio Curimataú está sobrecarregada em virtude do volume excessivo de chuva e as defesas civis estão retirando as pessoas para lugares seguros", declarou o coordenador da Defesa Civil, coronel Marcos Carvalho.


Ainda de acordo com o coronel Carvalho, com a perspectiva é que a retirada de moradores de áreas afetadas pela cheia nos municípios de Canguaretama e Nova Cruz triplique o número de afetados pela situação.

"Com a retirada dessas pessoas desses locais, a tendência é que esse número, em virtude da extensão da área afetada, pelo menos triplique. Poderemos chegar a 180 mil pessoas afetadas. Como o desastre está em andamento, esses números têm a tendência de flutuar para cima, infelizmente", acrescentou.

Segundo a Defesa Civil, os municípios que terão situação de emergência decretada são:

  1. Natal

  2. Ceará-Mirim

  3. São Gonçalo do Amarante

  4. Macaíba

  5. Parnamirim

  6. Nísia Floresta

  7. Extremoz

  8. Touros

  9. Nova Cruz

  10. Canguaretama

  11. Montanhas

  12. Várzea

  13. Espírito Santo

  14. Pedro Velho

  15. Tibau do Sul

Ainda de acordo com o governo, o número de cidades poderá aumentar, de acordo com o monitoramento que está sendo realizado. Segundo os órgãos de meteorologia do estado, a previsão é que o RN registre precipitações mais leves no fim de semana.


O governo também determinou reforço do pronto-atendimento à população, além de monitoramento das estradas estaduais, apoio técnico e operacional às defesas civis municipais e monitoramento das bacias hidrográficas.

A Defesa Civil ainda monitora a situação de áreas sujeitas a deslizamento de terra, com foco em Natal, Canguaretama, Tibau do Sul e Baía Formosa.

102 visualizações0 comentário