top of page

Governo do RN vai investir mais de R$ 1 bi em estradas

Quase dois terços da malha rodoviária no Rio grande do Norte têm algum tipo de problema, segundo estudo realizado pela Confederação Nacional do Transporte


Rodovia BR-101 Norte – Foto: Dayvissom Melo/NOVO Notícias


O Rio Grande do Norte pretende investir, no próximo ano, um montante aproximado de R$ 1,1 bilhão em estradas, além dos programas de Manutenção de Rodovias e Operação Tapa Buracos, segundo o Departamento de Estradas de Rodagens do Rio Grande do Norte (DER-RN). O valor é 511% maior que o investido neste ano de 2022. Atualmente, segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), 64,5% das rodovias que cortam o Rio Grande do Norte, sejam vias de administração estadual ou federal, apresentam algum tipo de problema.


O estudo, que avalia anualmente as condições das estradas em todo o Brasil em quatro pontos distintos: Estado Geral, Pavimento, Sinalização e Geometria da Via, que são classificados em péssimo, ruim, regular, bom ou ótimo, sendo as três primeiras classificações caracterizadas pela existência de algum problema na via. Foram analisados 1.879 quilômetros de rodovias no Rio Grande do Norte.


A “Pesquisa CNT de Rodovias” é realizada anualmente desde 1995, e neste ano, durante 30 dias, 22 equipes técnicas percorreram todas as regiões do Brasil.


No RN, as vias, em estado geral são consideradas 40,2% regulares, 8,8% ruins e 15,5% péssimas, o que dá o total de 64,5% das rodovias com a apresentação de algum problema. O resultado é um pouco melhor do que o obtido na avaliação feita em 2019, primeiro ano de Fátima Bezerra na gestão do Estado, quando 65,6% das estradas apresentavam problemas.

No estudo atual foram apontados nove trechos de nove rodovias diferentes com classificação “péssima”, e todas elas são estaduais. Já os trechos classificados como “ruim” foram quatro, em três rodovias diferentes, sendo uma estadual e duas federais.


Uma das partes identificadas como ruim está na região da Grande Natal, na rodovia BR-101 Norte, onde a nossa reportagem flagrou alguns buracos na via. A outra pista de responsabilidade federal é a BR-226, que tem trechos classificados como ruins entre as cidades de Triunfo Potiguar e Campo Grande, bem como na altura da cidade de Pau dos Ferros.


Para diminuir os impactos e melhorar a condição das estradas do estado, o DER-RN tem alguns projetos em andamento e outros prontos para serem iniciados já no próximo ano.


Segundo a diretora-geral do DER-RN, Natécia Nunes, o Governo do Estado determinou prioridade total às estradas durante o segundo mandato de Fátima Bezerra. “Entendendo da real situação da malha rodoviária do estado do Rio Grande do Norte, conforme está sendo abordado por meio deste meio de comunicação, a Governadora do Estado Professora Fátima Bezerra, determinou ao Departamento de Estradas de Rodagens – DER e a Secretária de Infraestrutura do RN – SIN providências urgentes para melhorar este cenário”, disse a gestora do DER-RN.


Essa prioridade pode ser notada no já citado investimento previsto de mais de R$ 1 bilhão para o setor já no ano de 2023.


Entre as ações previstas para melhorar a malha viária no Rio Grande do Norte, um projeto se destaca. “O Governo do RN está elaborando um projeto-piloto, baseado em um estudo detalhado, realizado no Distrito Rodoviário I, com sede em Mossoró, visando implantar o método de Manutenção Proativa e a Adequação de Capacidade das vias, que beneficiarão toda a malha da região Oeste, representando 700 km de um total de 3.464 km da nossa malha rodoviária estadual”, explica Natécia Nunes, que completa informando que esse projeto deve ser financiado com recursos de empréstimos externos e se estenderá a toda a malha viária potiguar.


A diretora do DER diz ainda que “os novos projetos contemplam não somente recuperação, mas também a implantação de novas rodovias estaduais”.


O valor de R$ 1,1 bilhão anunciado para ser investido já em 2023 é 43,2% maior do que o a CNT prevê como necessário para a recuperação plena das vias no Rio Grande do Norte. A Confederação estima que é necessário um investimento de R$ 767,89 milhões para recuperar as rodovias no RN, com ações emergenciais, de restauração e de reconstrução.


Más Condições das rodovias aumentam custos do transporte


De acordo com o estudo realizado, nas condições atuais do pavimento no estado do Rio Grande do Norte, os custos operacionais de transporte nas rodovias do RN têm um aumento de 31,5%. A publicação diz ainda que é estimado para 2022, um consumo desnecessário de 19,2 milhões de litros de diesel devido à má qualidade do pavimento da malha rodoviária do RN, o que gera um custo de R$ 87,77 milhões aos transportadores.




Por Novo Notícias

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page