top of page

Grean Sea atuará como novo operador da Agrícola Famosa pelo Porto de Natal

A Agrícola Famosa, principal exportadora de frutas do Rio Grande Norte, anunciou que manterá o escoamento para fora do País pelo Porto de Natal. De acordo com Carlo Porro, CEO da empresa, a expectativa para a próxima safra é produzir 10 mil pallets por semana. Um terço desse volume (3 mil pallets) será embarcado semanalmente pelo terminal marítimo da capital. O anúncio, segundo Porro, irá reativar o equipamento após a decisão da CMA-CGM, empresa pela qual a Agrícola operava, de deixar o porto no mês passado. A nova operação, a ser iniciada em agosto, será feita pela empresa Grean Sea.



Pela previsão da Agrícola Famosa devem sair pelo Porto de Natal cerca de 3 mil toneladas de frutas / Adriano Abreu


Com as mudanças, as frutas serão embarcadas em pallets e não mais em contêineres, como ocorria até a última safra. O pallet é um estrado ou plataforma, geralmente feito em madeira, plástico ou metal, usado para empilhar ou transportar materiais. “A diferença agora é que as frutas não irão mais em contêineres. Irão em pallets, dentro de navios que contêm câmaras frigoríficas. É um serviço dedicado, mais rápido, que chega ao cliente sem interromper a cadeia logística e de fornecimento”, explica Carlo Porro, da Agrícola.


Em 2022, a empresa mudou a própria logística e passou a exportar entre 30% a 35% da produção de melão e melancia para a Europa no novo modelo, que contou com a adoção do formato 'break bulk'. A mudança, no entanto, foi aplicada apenas para o escoamento feito pelo Porto de Mucuripe, em Fortaleza (CE). “Este ano, a gente está trazendo esse navio para Natal”, relata Porro. A modalidade break bulk permite o transporte de carga de forma fracionada, diferentemente da mercadoria contentorizada, onde os produtos são empilhados.

“Nesta fase pós-covid, em razão de todo um caos logístico, o break bulk volta com uma força muito grande, depois de 30 anos. Na modalidade, a fruta chega com uma qualidade melhor. Então, não tenho dúvida que, graças a isso, vamos vender mais e melhorar nossa qualidade, aumentar emprego e fazer negócios”, afirma o CEO da Agrícola.


Na última safra, encerrada em abril passado, a Agrícola Famosa exportou 9 mil contêineres, o equivalente a 120 mil toneladas de frutas. Pelo Porto de Natal, com a operação da CMA, foram escoadas cerca de 2 mil toneladas por semana. Para a nova safra, a expectativa é de, ao menos, manter os números gerais. “A produção deve ser igual ou 10% maior do que na última safra”, prevê o CEO. Com o novo formato, o embarque semanal pelo Porto – que passará para 3 mil toneladas – representará um aumento de 50%.


A Europa continuará sendo o principal destino de exportação, com destaque para países como Espanha, Holanda e Inglaterra. A permanência no Porto de Natal, segundo o CEO da Agrícola, irá significar a reativação do equipamento. “O terminal volta a funcionar. Nossa intenção é trazer mais navios para cá e atender outros produtores. Queremos tornar Natal um porto fruteiro”, diz.


A permanência da Agrícola Famosa no terminal marítimo da capital serve para amenizar os impactos da saída da CMA do equipamento. Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE em março deste ano, o presidente do Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (Coex), Fábio Queiroga, estimou que deixariam de ser exportados, na próxima safra, mais de 20 mil toneladas de frutas.

O anúncio da continuidade no Porto de Natal foi feito nesta terça-feira (9) ao Governo do Estado, durante um encontro na sede da empresa, em Mossoró. A governadora Fátima Bezerra (PT), comemorou a notícia. “Uma parceria exitosa entre a Secretaria de Agricultura, o Coex e a Agrícola garantiu a vinda de um novo operador para o RN, que é a Green Sea. A companhia marítima vai fazer com que o Porto de Natal volte a funcionar, levando nossas frutas para o mundo, o que garantirá aquilo que o povo mais precisa: emprego”, sublinhou. “Nossa permanência vai ser benéfica para o Estado, disse Carlo Porro, CEO da Agrícola.

O secretário de Agricultura e Pesca do RN, Guilherme Saldanha, destacou que a continuidade da empresa no equipamento irá contribuir para a manutenção de geração de renda. “A partir da safra que se inicia em agosto, nós teremos novamente um navio toda semana operando o terminal de Natal. Isso significa que, na questão logística, para tirar a fruta embalada da fazenda até deixar no Porto, são várias oportunidades de emprego (transporte, combustível, o dono de um restaurante que fornece alimentos para caminhoneiros e outros)”, destacou Saldanha.



Com informações da Tribuna do Norte.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page