top of page

Greves e paralisações afetam serviços básicos durante a semana

Greves e paralisações marcadas para começar nesta semana afetam serviços básicos no Rio Grande do Norte. No Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais (Ipern), atividades relacionadas a pagamento de aposentadorias, pensões ou prova de vida estão interrompidos até esta terça-feira (18), por causa de uma “paralisação de advertência”. Natal e Estado têm greves já anunciadas para amanhã (19). Na capital, existe a perspectiva de que o transporte público seja suspenso e no Estado, trabalhadores da Saúde Pública irão cruzar os braços. Além disso, vistorias, auditorias e abertura de novos processos estão suspensos há duas semanas Detran, em função da greve dos servidores.


Magnus Nascimento


De maneira geral, as categorias cobram reposições salariais e melhorias nas condições de trabalho. O Sintro-RN tenta, nesta terça (18), uma conciliação com as empresas em audiência mediada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), como última alternativa à greve. “O último jeito de negociar vai ser esse, se amanhã não avançarmos nessa questão, vamos manter o edital da greve”, destaca Carlos Silvestre, representante do Sintro.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Natal (Seturn), enxerga com preocupação a sinalização de greve e diz que essa é “mais uma encruzilhada” do transporte público de Natal. “Temos uma reunião agendada para tentar abortar essa greve. A nossa maior preocupação é que o Sintro pede reajuste acima da inflação e não abre mão disso, diz que há uma perda acumulada de salários e benefícios desde a pandemia. Nós estamos sem capacidade econômica de fazer investimentos, incluindo salários, por causa da ausência de licitação”, comenta Augusto Maranhão, advogado do Seturn.

Caso a greve dos trabalhadores do transporte público se concretize, somente cerca de 30% da frota, o que equivaleria a aproximadamente 80 ônibus, circularia na capital emergencialmente, de acordo com o Sintro. Eles cobram um reajuste salarial de 8,86% referente à data-base 2023, pagamentos de vale-alimentação de R$ 450, plano de saúde integral e exame toxicológicos dos motoristas.

A greve da saúde pública também está marcada para começar na próxima quarta-feira (19) na rede estadual. Os servidores pedem reposição das perdas salariais de 21,87%; implementação e pagamento do adicional dos técnicos de radiologia; reenquadramento dos profissionais com observância ao tempo de serviço; instalação de uma comissão para o piso salarial da enfermagem, entre outros.


O Sindsaúde-RN anunciou um calendário “na tentativa de pressionar o governo Fátima Bezerra (PT), a atender a pauta da categoria e superar pontos que já deveriam ter sido cumpridos”. A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) informou que iria se posicionar somente nesta terça-feira (18).

Em greve desde o último dia 5 de julho, a mobilização dos servidores do Detran já é alvo de judicialização por parte do Estado. Em nota divulgada à imprensa, a diretoria do órgão faz um apelo para que os servidores retornem às atividades e relembra avanços que a categoria teve ao longo da atual gestão. Na pauta dos trabalhadores está a reposição salarial de 20,71% para todos os servidores da ativa e aposentados, entre outros pontos.

No Ipern, a paralisação de advertência acontece até hoje (18), mas os servidores não descartam uma greve por tempo indeterminado. A ideia é pressionar pela reestruturação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) e a realização de concurso público. O Sinai, que também representa a categoria, afirma que uma audiência com o governo está agendada para 9 de agosto.



Com informações da Tribuna do Norte.

16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page