Papa Francisco confirma presença na Convenção de 40 anos do Shalom

Em audiência privada, realizada na última segunda-feira (25), o fundador da Comunidade Shalom convidou o Santo Padre para as celebrações dos 40 anos de fundação da Comunidadee apresentou as ações do Projeto Shalom Amigo dos Pobres durante a pandemia.

O fundador da Comunidade Católica Shalom, Moysés Azevedo, participou de uma audiência particular com o Papa Francisco na última segunda-feira, 25. O encontro, realizado no Vaticano, foi ocasião para o convidar o Santo Padre para as celebrações dos 40 anos de fundação da Comunidade Católica Shalom e partilhar as experiências da Comunidade no projeto Shalom Amigo dos Pobres, que surgiu como resposta de evangelização em meio a pandemia.

O Santo Padre acolheu com muita paternidade e carinho o nosso pedido. Em setembro, com a graça de Deus, estaremos organizando nossa peregrinação a Roma e a Convenção dos nossos 40 anos, para renovarmos a oferta das nossas vidas aos pés do sucessor de Pedro”, explica Moysés.

A Comunidade Shalom, que nasceu aos pés do Papa João Paulo II, tem a tradição de peregrinar a Roma a cada cinco anos para renovar a oferta de vida diante do sucessor de Pedro. De acordo com Moysés, neste ano, a celebração da Convenção Shalom em Roma depende também da evolução das condições sanitárias causadas pela pandemia do coronavírus. O tema escolhido para este ano é “Amigos de Deus, amigos dos Jovens e amigos dos Pobres”.



Moysés presenteia Papa com um ícone da Virgem Marajoara e com o livro sobre ações do Shalom Amigo dos Pobres


O fundador da Comunidade Shalom presenteou o Papa Francisco com um livro sobre as ações do projeto Shalom Amigo dos Pobres.

O dom dos pobres, que sempre foi presente na história da Comunidade, nesse tempo da pandemia se tornou um dom mais amplo, mais abundante, uma conversão mais profunda que o Senhor fez em nós. O surgimento do Shalom Amigo dos Pobres gerou certamente na Comunidade todo um movimento de saída ao encontro dos que sofrem e encontrar neles amigos. A gente foi mostrando essa experiência em Fortaleza; o Espaço de Paz, na Ilha de Marajós; o serviço na ilha de Madagascar; o acolhimento aos refugiados da guerra na Europa. Tive a oportunidade de mostrar um álbum com essa experiência, do encontro com Deus, com os jovens e com os pobres”.

Além do livro, Moysés presenteou o Papa com o ícone a Virgem Marajoara, escrito para o Espaço de Paz em Chaves na Ilha de Marajó, Pará. O Espaço de Paz tem como missão ser um local para educar crianças e jovens, que vivem em vulnerabilidade devido à pobreza da região. “O ícone representa Nossa Senhora com as feições bem próprias do povo de Marajó e com o Menino Jesus no braço”.


Palavra do Papa aos membros da Comunidade Shalom


Esta é a terceira vez que Moysés Azevedo se encontra em audiência particular com o Papa Francisco. Em todas as ocasiões, o fundador da Comunidade Shalom pediu uma palavra do Pontífice para os membros da Obra. “Na primeira vez ele falou: ‘Não tenham vergonha do Evangelho’. Na segunda vez, em 2016, antes da Convenção de 2017, ele nos disse: ‘Consolidar’; a importância de consolidar a vivência do evangelho, consolidar a vivência do Carisma.”


Antes de manifestar a palavra de orientação desta vez, o Pontífice quis saber sobre a difusão do Carisma Shalom. De acordo com Moysés, a presença da Comunidade é encontrada hoje em 33 países e conta com 1.500 missionários da Comunidade de Vida e cerca de 10 mil na Comunidade Aliança, fora os membros presentes da Obra.

“’Vocês cresceram muito, graças a Deus – comentou o Santo Padre -. Isso é um dom de Deus!” e exatamente porque ela cresceu e em vista de preservar a obra de Deus, ele nos animou a cultivar o dom da “Humildade”. Esta foi a palavra que ele nos deu, preservem, protejam, cuidem da Obra de Deus por meio do dom da humildade. Para lidar com a obra de Deus é indispensável cultivar um coração manso e humilde como o de Jesus Cristo, conta Moysés.

Para Moysés, a palavra de Francisco confirma a presença mariana durante a audiência. “A presença mariana nesse encontro com o Papa, para mim, foi muito especial. A humildade de Jesus e a humildade de Maria que é a ‘toda pequena e humilde, toda transparente e em tudo aponta para o Seu Filho Jesus Cristo’”.


35 visualizações0 comentário