top of page

Petrobras leva Ibovespa a uma queda de 0,08%

O Ibovespa caiu 0,08% nesta quinta-feira (26), aos 114.177,55 pontos, em realização de parte do ganho de 2,27% acumulado entre terça e quarta-feira. A incerteza quanto ao futuro da Petrobras, após a confirmação do ex-senador petista Jean Paul Prates como presidente da estatal, predominou sobre os sinais positivos do exterior e puxou a queda da Bolsa brasileira. Na outra ponta, empresas relacionadas a commodities metálicas limitaram as perdas do índice, reflexo do otimismo com a reabertura da economia chinesa.



Divulgação



Na contramão dos ganhos do petróleo no mercado internacional, entre 1,26% (Brent) e 1,07% (WTI), os papéis da Petrobras encerraram o dia em queda (-2,79% ON, -2,75% PN), diante da percepção de que a gestão Prates deve agir para alterar a política de preços da empresa. "A queda do Ibovespa hoje é muito em função da Petrobras, basicamente por causa da discussão aberta sobre como fica a distribuição de dividendos e a política de preços para a frente", resume o economista Álvaro Bandeira.


Esse movimento foi o principal vetor negativo para o desempenho do Ibovespa hoje, mas o dia também foi marcado pela realização em segmentos como o varejo, que acumulou ganhos nas últimas sessões. O índice de referência de consumo encerrou o dia em queda de 0,22%, após ter acumulado alta 4,23% desde a segunda-feira, 23, em três pregões seguidos de resultados positivos. Ao todo, 43 das 88 ações listadas no Ibovespa encerraram o dia em baixa.


Números


Na ponta positiva, o destaque ficou com empresas ligadas a commodities metálicas, que se beneficiam das expectativas pela reabertura da economia da China. Embora os mercados do país continuem fechados devido ao feriado de Ano Novo Lunar, o ganho próximo de 2% registrado pela bolsa de Hong Kong hoje e a valorização de 0,60% do minério de ferro em Cingapura aumentaram o otimismo. A Vale subiu1,87%, na máxima, acompanhada pelos papéis de CSN (+4,43%) e Usiminas (+3,74%) - estes últimos entre as cinco maiores altas do pregão.


"O desempenho de siderurgia e mineração é reflexo desse interesse estrangeiro no Ibovespa, por causa da China e do PIB dos Estados Unidos, que veio acima do consenso, mas em desaceleração em relação ao trimestre anterior, e mostrou que o trabalho do Fed Federal Reserve, o banco central americano está sendo feito", diz o operador de renda variável da Manchester Investimentos Felipe Cima.


O PIB dos Estados Unidos subiu 2,9% no quarto trimestre em relação aos três meses anteriores, em números anualizado, acima da mediana da pesquisa Projeções Broadcast (2,5%). O sinal de atividade mais forte amparou as bolsas de Nova York, mas não alterou as expectativas de desaceleração do aperto monetário no país. Conforme a ferramenta de monitoramento do CME Group, a chance de um aumento de 0,25 ponto porcentual da taxa dos Fed Funds em 1º de fevereiro era de 98,12% hoje, contra 96,76% uma semana atrás.


As maiores quedas do Ibovespa foram puxadas por Hapvida (-3,06%), Suzano (-2,93%) e Cemig (-2,82%), além da Petrobras. As cinco maiores altas ficaram com CVC (+4,29%), Eztec (+3,21%) e Qualicorp (+2,25%), além de CSN e Usiminas.




Com conteúdo da Tribuna do Norte.

2 visualizações0 comentário
bottom of page