top of page

RN entra em alerta para baixa procura do reforço da vacina contra Covid-19

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap/RN) deve se reunir com os secretários dos municípios do Estado nesta sexta-feira (11), para discutir um projeto com foco na instalação de postos vacinais no ambiente de trabalho. A informação foi confirmada à TRIBUNA DO NORTE, nesta quarta-feira (09), pela coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima.


Sesap deve implementar projeto para instalação de postos vacinais em empresas do RN. Foto: Bruno Vital


Segundo ela, o principal objetivo da proposta é aumentar a cobertura vacinal contra a covid-19 é evitar o aumento de casos locais da doença.De acordo com dados da plataforma RN+Vacina, o Rio Grande do Norte conta com apenas 21% da população vacinada com a segunda dose de reforço (D4), revelando baixa procura pelo imunizante, em especial, por pessoas na faixa-etária entre 20 a 50 anos.


A coordenadora de Vigilância em Saúde esclarece que o dado é preocupante, tendo em vista que na primeira quinzena deste mês, como ocorre sazonalmente nessa época do ano, ocorreu aumento nos casos de doenças respiratórias, como as viroses. “A gente se preocupa, já que essas pessoas só estarão mais protegidas se estiverem completamente vacinadas”, enfatizou.


Ao todo, o projeto de implementação dos postos de vacinação nos ambientes de trabalho já foi apresentado a três instituições, incluindo a Federação das Indústrias do Estado (FIERN). Na reunião desta sexta-feira, além da discussão junto aos secretários municipais, a ideia é que a iniciativa seja apresentada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (SEMURN).

Para estimular a efetivação da ideia, segundo Kelly Lima, a expectativa é que um posto de vacinação seja inicialmente implementado no Centro Administrativo do Governo do Estado, onde serão ofertadas doses para covid-19, influenza e febre amarela aos servidores. Em relação aos postos a serem instalados nas demais empresas, sejam públicas ou privadas, o foco é ofertar prioritariamente doses contra a covid-19 e influenza pela sazonalidade de surgimento de vírus respiratórios.

A coordenadora ressalta, ainda, que é preciso reforçar que a preocupação com a vacinação não devem ser apenas uma prioridade das secretarias municipais de saúde, mas estimulada e possibilitada pelas empresas junto aos seus funcionários. “A ideia é que sigamos com o projeto de novembro a dezembro para alcançar mais de 80% para terceira e quarta dose de reforço”, finalizou.




Por Tribuna do Norte

3 visualizações0 comentário
bottom of page