RN tem queda sustentável de casos de covid-19 e precisa vacinar crianças, diz LAIS



A pandemia no Rio Grande do Norte segue em processo de desaceleração de novos casos e óbitos de forma sustentada. É o que aponta o mais recente relatório do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) que faz uma análise de todo o mês de dezembro de 2021. De acordo com o documento, essa redução teve como principal motivo o início do processo de imunização da população potiguar, tendo em vista que a redução ocorreu aproximadamente dois meses depois do início da vacinação. No documento, ainda, o LAIS diz que é necessário iniciar "urgentemente" a vacinação em crianças de 5 a 11 anos.


De acordo com os levantamentos, entre o período de março de 2021 a novembro de 2021, foi observada uma redução de 83,24% no número de novos casos diários de covid-19. Outro aspecto apresentado no relatório é a redução sustentada de novos casos diários por mais de 9 meses, algo que não havia sido registrado no estado antes do processo de imunização.


Apesar da variante ômicron circular no país e ser mais transmissível que as demais, o LAIS minimizou os riscos, mesmo afirmando que é preciso estudos mais aprofundados. No relatório, o laboratório destacou que o aumento das internações e óbitos relacionados à infecção pela variante Delta observado na Europa e nos Estados Unidos estavam relacionados majoritariamente à população não vacinada, "cenário que vai se repetindo atualmente ao observar os dados preliminares relacionados à variante Ômicron". No entendimento dos pesquisadores que assinam o relatório, não é possível afirmar que o que está ocorrendo agora na Alemanha (ou em outros países da Europa) irá ocorrer da mesma forma no Brasil, "conforme observamos/aprendemos com a disseminação da variante Delta do Sars-CoV-2".


O relatório também voltou a falar sobre o pós-Carnatal. Assim como foi dito em 19 de dezembro, o documento aponta que não se observou impacto negativo do Carnatal sobre a rede assistencial do estado, assim como também não houve registro significativo no aumento dos casos e nem de internações por covid-19, "mantendo-se o comportamento observado no final do mês de novembro e início do mês de dezembro de 2021".


Por outro lado, o relatório aponta para a necessidade de se reforçar a vacinação contra a gripe e também covid. Ainda cercada de controvérsia, a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos foi defendida pelo LAIS.


"Especificamente em relação ao processo de imunização contra covid-19 no estado é necessário neste momento ampliar a vacinação entre a população mais jovem, de 12 a 17 anos e iniciar URGENTEMENTE a vacinação em crianças de 5 a 11 anos. Essa ação torna-se fundamental diante do cenário de retorno às aulas em 2022, o qual está previsto para o final do mês de janeiro e início do mês de fevereiro, aumentando a proteção coletiva e reduzindo o número de indivíduos suscetíveis no estado", disse o documento.

O “A EVOLUÇÃO DA PANDEMIA DE COVID-19 NO RIO GRANDE DO NORTE: A REDE ASSISTENCIAL COVID-19 DO SUS EM DEZEMBRO 2021” é de autoria dos pesquisadores Carlos Alberto Pereira de Oliveira, Fernando Lucas, Higor Morais, Isabela Sales Moioli, Juciano Lacerda, Leonardo Galvão de Lima, Nícolas Veras, Pablo Holanda, Ricardo Valentim, Rodrigo Silva e Talita Brito.



31 visualizações0 comentário