top of page

RN tem trimestre com menor taxa de desocupação desde 2013, diz IBGE

Apesar da queda, número representou a décima maior taxa de desocupação de todo o Brasil entre outubro e dezembro de 2022, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.



Carteira de trabalho — Foto: Divulgação


Com 9,9% de descoupação (entenda o conceito mais abaixo) entre outubro e dezembro do ano passado, o Rio Grande do Norte teve a menor taxa nesse quesito em um trimestre desde 2013. No último trismestre daquele ano, o estado registrou 9,8% de desocupação.


O dado está da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD-C) trimestral, que foi divulgada nesta quarta-feira (1º) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar da queda no índice, o RN teve no último trimestre de 2022 a 10ª maior taxa de desocupação do país, em ranking liderado pela Bahia, que apresentou 13,5%.

Em números absolutos, essa taxa representa cerca de 153 mil pessoas que não conseguiram atividade laboral no estado nos últimos três meses de 2022. A diminuição foi de cerca de 10 mil pessoas em relação ao trimestre anterior (10,5%) no Rio Grande do Norte. O IBGE considera a taxa estável nesse período.

Quando comparado ao mesmo trimestre do ano de 2021, quando haviam 194 mil desocupados, a queda é de 21,1%.


São consideradas desocupadas as pessoas que estavam sem trabalho e que tomaram alguma providência para conseguir emprego, como entregar currículo, atender a entrevistas de emprego, inscrever-se em concurso, entre outras atitudes. Essas pessoas estavam disponíveis para assumir o posto de trabalho na mesma semana. Desocupação não é o mesmo que desemprego.


Na capital Natal, a taxa de ocupação nesse período foi de 8,8%, mantendo estabilidade. Em comparação a outras capitais nordestinas, a capital potiguar tem a 3ª menor taxa de desocupação, ficando acima apenas de Fortaleza (7,5%) e Teresina (8,7%). Nacionalmente, Natal fica na 14ª posição no ranking.

Especificidades

Gênero

Entre os homens, a taxa de desocupação foi de 9,3%, enquanto entre as mulheres foi de 10,8%. A diferença na taxa de desocupação entre os gêneros apresentou redução em relação ao trimestre anterior, quando a taxa para eles foi de 9,2% e, para elas, de 12,3%.


Cor e raça


Já em relação à cor e à raça, no RN a desocupação foi de 8,8% para pessoas brancas, 7,7% para pessoas pretas e 11% para pessoas pardas. Em números absolutos, são 48 mil pessoas brancas desocupadas, ao passo que pretos e pardos somam 103 mil.


Escolaridade


Quanto a escolaridade, a desocupação no RN foi de 8,4% para quem não tem instrução ou tem até um ano de estudo; de 10,3% para aqueles com ensino fundamental completo; de 11,8% entre as pessoas com ensino médio completo e 4,4% para os que possuem diploma de ensino superior.


Ademais, do contingente de 153 mil desocupados, cerca de 131 mil (86%) têm até o ensino médio completo como maior nível de instrução - desde aqueles sem instrução até os com ensino médio completo.


Atividade


O comércio continua a ser o setor que mais emprega no estado, representando 22,1% no volume de pessoas ocupadas. Em segundo está a administração pública com 20,9%.


O setor de transporte, armazenagem e correios é o que possui menor participação no mercado de trabalho potiguar, representando cerca de 3,4% das pessoas ocupadas.



Com informações do g1 RN.

13 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page