top of page

Samba para três bambas: Valéria Oliveira divide o palco com Jubileu Filho em show de fim de ano

Uma volta ao básico representa muito quando o artista conhece todas as possibilidades de sua arte. É dessa forma que a cantora e compositora Valéria Oliveira vai encerrar seu ano de shows, nesta quinta-feira (29): dividindo o palco com o duo formado pelo multi-instrumentista Jubileu Filho, tocando violão 7 cordas e bandolim, e a percussão suingada de Kelliney Silva. Valéria comparece com voz, violão, cavaco, e um repertório de samba altamente selecionado. A apresentação será a partir das 19h30, na Cervejaria Resistência, em Ponta Negra.



Valéria canta clássicos do samba e toca violão e cavaco / Divulgação


Valéria, Jubileu e Kelliney são amigos dentro e fora do palco, e estão celebrando mais de uma década de trabalho em conjunto com um repertório solar e poético – o mesmo que já havia surpreendido o público com essa proposta musical minimalista, apresentada na última edição do Fest Bossa Jazz, realizada em são Miguel do Gostoso. Menos é mais também funciona muito quando o assunto é samba.


Por contar com apenas três músicos no palco, o roteiro do show é dinâmico. A artista visita obras de compositores e compositoras, poetas e intérpretes do samba. Cartola, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Paulinho da Viola, Paulo César Pinheiro, Nei Lopes, Delcio Carvalho, João Bosco, Chico Buarque, Vinícius de Moraes e Dona Ivone Lara, Leci Brandão, Clara Nunes, são alguns mestres e mestras do panteão da música popular brasileira que inspiram Valéria na composição do roteiro do show – no qual também estarão presentes sambas de sua autoria.


Entre as canções de Valéria estão “Gente”, “Pele bonita”, “Sacrário”, “Do meu jeito”, entre outras. Ela iniciou a carreira como cantora intérprete, mas a partir de 2007, com o álbum “Leve só as pedras”, passou a mostrar também sua porção compositora. E apesar de o samba estar sempre em seu repertório, aliado a outros gêneros, foi a partir de “Em águas claras”, uma homenagem a Clara Nunes, que Valéria aderiu de vez ao batuque como sua trilha oficial.


"Essa é a ocasião para olharmos no olho do nosso público querido, para cantarmos juntos toda a poesia do samba. É um momento de intimidade, de celebração e também de agradecimento por tanta coisa bonita que vivenciando ao longo deste ano que se encerra", declarou a cantora.


Valéria Oliveira tem 30 anos de estrada dedicada à música. Tornou-se expoente da MPB potiguar desde que lançou seu primeiro disco, “Impressões”, em 1997. A partir de 2000 sua carreira deu uma guinada internacional, com a primeira viagem ao Japão. Por lá obteve reconhecimento do público e teve quatro discos produzidos pelo produtor e baterista japonês Kazuo Yoshida, com participações de artistas como Edu Lobo e Filó Machado.


Entre março e abril de 2012, nos Estados Unidos, Valéria se apresentou em New Orleans, em salas e clubes de Jazz. A cantora tem dez discos no currículo, sendo “Sacrário” o último, no qual firmou uma série de parcerias no samba local e nacional. Além de cantar e compôr, Valéria também agita a cena cultural de Natal com o projeto “Cores do Nosso Samba”, uma série de shows no qual traz sambistas de Rio de Janeiro e São Paulo para apresentações inéditas em solo natalense.


Jubileu Filho é um dos músicos mais celebrados do panteão potiguar. Irmão do igualmente talentoso Chico Bethoven, Jubileu é um guitarrista virtuoso que já tocou com nomes locais e nacionais. Em quase 40 anos de carreira, emprestou seu talento para nomes como Pepeu Gomes, Trio Irakitan, Jair Rodrigues, Dominguinhos, Lenine, Elba Ramalho, Fagner, Marinês, Alceu Valença, Toni Garrido, entre outros, além de muitos artistas potiguares.


Serviço

Valéria Oliveira & Duo. Quinta (29), às 19h30, na Cervejaria Resistência, Ponta Negra. Ingressos antecipados: https://outgo.com.br/valeria-oliveira-duo






Por Tribuna do Norte

4 visualizações0 comentário
bottom of page