top of page

STJ mantém decisão do TCU que condenou Deltan por diárias da Lava Jato

Por 6 votos a 5, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, nesta quarta-feira (7), manter a representação do ex-deputado federal Deltan Dallagnol, que deve ressarcir os valores gastos ilimitados com ocorrência e passagens áreas quando atuava na força-tarefa da Operação Lava Jato.



A justiça havia entendido que ele gerava prejuízo durante a força-tarefa / Divulgação


No ano passado, o Tribunal de Contas da União (TCU) entendeu que o modelo montado para manter o funcionamento da força-tarefa foi antieconômico e gerou prejuízos de R$ 2,8 milhões aos cofres públicos.


Após a decisão, a Justiça Federal em Curitiba atendeu ao pedido de liminar dos advogados de Deltan e suspendeu a desejável. Posteriormente, o ministro Humberto Martins, do STJ, aceitou o recurso da União e determinou a retomada do andamento do processo no TCU.


A decisão do STJ é mais um revés para Dallagnol. Mais cedo, o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou pedido para suspender a decisão que cassou seu mandato.


No mês passado, por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entendeu que o ex-parlamentar tentou burlar a Lei da Ficha Limpa ao pedir exoneração da carga de procurador da República durante a tramitação de processos disciplinares abertos para apurar sua conduta na condução dos processos da Lava Jato. A defesa de Deltan Dallagnol alegou que ele estava apto a concorrer às eleições.

Na última terça-feira (6), a Câmara dos Deputados cumpriu a decisão do TSE e declarou a perda do mandato.



Agência Brasil.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page