top of page

Treino da seleção brasileira tem Alex Sandro no gramado e Neymar de chinelo



Um dia após a goleada sobre a Coreia do Sul, que garantiu o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar, os titulares da seleção brasileira realizaram apenas atividades regenerativas. Como tem sido costume no dia seguinte às partidas, somente os reservas foram a campo do Grand Hamad Stadium nesta terça-feira. Neymar apareceu caminhando de chinelo à beira do gramado.


O Alex Sandro, que se recupera de lesão muscular no quadril, correu em torno do gramado ao lado do preparador físico Fábio Mahseredjian.


Alex Sandro subiu ao gramado 30 minutos depois de a atividades começar. O atleta correu e fez trabalhos físicos como parte final do processo de recuperação da contusão que o tirou das últimas duas partidas. Sem ele, Tite teve de improvisar Danilo na esquerda contra a Coreia do Sul, uma vez que o lateral reserva, Alex Telles, foi cortado após romper parcialmente o ligamento do joelho direito.


Alex Sandro é titular e peça-chave no esquema de Tite. Ele trabalhava para jogar as oitavas. No entanto, ficou fora porque não tinha condições clínicas. A ideia da comissão técnica é tê-lo plenamente recuperado para o duelo das quartas de final contra a Croácia.


O Brasil vai treinar mais duas vezes até o duelo, marcado para sexta, ao meio-dia (de Brasília), no Education City Stadium.


O treinamento durou pouco mais de uma hora e foi todo aberto à imprensa. Os jogadores participaram de um trabalho leve, em espaço reduzido, com cada time podendo marcar em dois golzinhos. A ideia da comissão técnica era aperfeiçoar o passe e a pressão para reaver a bola.


Depois, a comissão técnica aumentou o campo e colocou os dois goleiros reservas na atividade de seis contra seis.


Titular diante dos sul-coreanos, Neymar surgiu de chinelo. Com o celular na mão, caminhou na beira do campo, acenou para convidados e voltou para a parte interna do centro de treinamento. Richarlison fez o mesmo, mas sua aparição foi ainda mais rápida. Os dois e os outros titulares permaneceram na parte interna fazendo um trabalho regenerativo.

Croácia

Ivan Perisic escreveu um novo capítulo da história da Croácia. E não só em relação aos feitos da seleção, da qual é peça fundamental, mas também individualmente nas oitavas de final da Copa do Mundo FIFA de 2022, no Qatar. Após o gol de Maeda ter colocado o Japão à frente no primeiro tempo, Perisic empatou o jogo com um cabeceio tão bonito quanto importante, considerando que o jogo acabou indo para a disputa de pênaltis, vencida pelo conjunto de Zlatko Dalic.

Com seu gol contra o Japão, Perisic fez mais do que ajudar sua seleção a manter vivo o sonho da consagração na Copa do Mundo. Também estabeleceu uma série de novos recordes individuais: O ponta se tornou o maior artilheiro da Croácia em Copas do Mundo, com seis gols, empatado com Davor Suker; Ele se tornou o único croata a marcar em três Copas do Mundo (2014, 2018 e 2022); O jogador do Tottenham é o primeiro a anotar dez gols pela seleção croata em grandes torneios (Mundiais e Eurocopas); Igualmente importante, Perisic conseguiu marcar nos três últimos jogos da fase eliminatória da Copa: a semifinal e a final de 2018 e as oitavas agora no Qatar. Basicamente, quando a coisa se complica, Ivan mostra seriedade.


Números


12 é a posição da Croácia no ranking de seleções da FIFA. Os croatas foram vice-campeões na Copa de 2018 na Rússia e sempre tem boas equipes.

1841,3 pontos tem a Seleção Brasileira no ranking de seleções elaborado pela Fifa. O Brasil lidera seguido pela Bélgica, Argentina e França.


Experiência de campeões ajuda o Brasil

O técnico Tite? conseguiu montar em torno de si uma comissão técnica reforçada de ex-jogadores da Seleção. Dois deles, em particular, oferecem ao grupo que foi à Copa do Qatar a experiência de títulos mundiais conquistados. Um dos heróis do tetra em 1994, Taffarel atua hoje como preparador de goleiros, responsável pela forma de Alisson, Ederson e Weverton. Além do título nos Estados Unidos, o ex-camisa 1 também foi titular nas Copas de 1990, na Itália, e de 1998, na França. “Eu vejo ele (Alisson) muito ligado, atento ao jogo. Isso é uma forma também de participar. Acompanhar 100% o jogo é um jeito de participar. Temos uma equipe que defende muito bem. Não defendemos só com zagueiro e lateral, mas também com os caras na frente. Quando você não concede nada ao adversário, você mostra a sua força. O Brasil não é só espetáculo. A gente consegue marcar muito forte também. Eu lembro de 1994 que eu trabalhei muito pouco naquela Copa. A gente tinha essa característica”, concluiu. Juninho Paulista, por sua vez, foi integrante do Brasil que triunfou em 2002, no Japão e na Coreia do Sul. Hoje atua como coordenador d?a Seleção, uma figura sempre próxima de Tite em decisões estratégicas, com relação a planejamento e logística, por exemplo. “A gente conversou antes de começar a Copa. E os jogadores disseram que não há nada parecido com uma Copa do Mundo. Não tem Champions League, Libertadores. E é verdade. Não tem. Por mais experiência que você tenha, Copa do Mundo é diferente”, analisou o coordenador. Além de Taffarel e Juninho, a comissão conta com as presenças de César Sampaio (volante na Copa de 1998), como auxiliar técnico, e Ricardo Gomes (zagueiro na Copa de 1990), como observador de adversários. ? “Eu me sinto representado pela Seleção. Do meio para trás, temos jogadores mais experientes. Do meio para frente, jogadores mais jovens. Eles têm amor pela pátria. É muito profissionalismo”, explicou César Sampaio.


Gabriel Jesus


Atacante do Brasil opera o joelho


O Arsenal informou ontem (6) que o atacante brasileiro Gabriel Jesus passou por uma cirurgia no joelho direito após sofrer uma lesão na partida entre Brasil e Camarões pela terceira rodada da fase de grupos. “Gabriel Jesus passou com sucesso por uma cirurgia no joelho direito após sofrer uma lesão durante a partida da fase de grupos da Copa do Mundo entre Brasil e Camarões na última sexta-feira [2]”, diz o comunicado dos Gunners. O atacante foi cortado após ser constatado que ele sofreu uma lesão de ligamento e que não teria tempo hábil de se recuperar antes do final da competição.

Neymar


Tite fala em liderança técnica


O técnico Tite celebrou a liderança do atacante Neymar na vitória de 4 a 1 do Brasil sobre a Coreia do Sul, resultado que valeu a vaga nas quartas de final da Copa do Catar. Na entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (5) após a partida, o treinador também falou da versatilidade dos jogadores da seleção brasileira. “[Neymar] é a liderança técnica da equipe brasileira. Cada um tem uma característica marcante, e ele é o centro que potencializa os demais”, declarou Tite sobre o seu camisa 10, que retornava de uma lesão que o deixou de fora da vitória sobre a Suíça.

Movimentaço


Seleção já utilizou os 26 jogadores


A substituição de Alisson por Weverton, aos 36 minutos do segundo tempo, na vitória do Brasil por 4 a 1 contra Coréia do Sul, na última segunda-feira (05), selou a participação de todos os 26 convocados por Tite na Copa. A Seleção é a primeira a rodar todo o elenco na competição. Com a classificação para as quartas de final bem encaminhada, Weverton entrou em campo para sua primeira partida em um Mundial e manteve o alto nível debaixo das traves. Dos quatro jogos da Amarelinha até agora no Mundial, Marquinhos, Raphinha e Rodrygo entraram em todas as partidas.

5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page