top of page

Vini Jr. diz que LaLiga normaliza o racismo e avisa: 'Vou até o fim, mesmo que longe daqui'

O atacante Vinícius Júnior fez publicações nas redes sociais após ser alvo de racismo e acabar expulso durante confusão na derrota por 1 a 0 para o Valencia, no Estádio de Mestalla, neste domingo. Assim como já fez em outras ocasiões, criticou a atuação da LaLiga, associação responsável pela organização do Campeonato Espanhol, no combate ao racismo. "O prêmio que os racistas ganharam foi minha expulsão. Não é futebol, é a LaLiga", escreveu o jogador no Instagram. Poucos minutos depois, fez um texto mais elaborado em sua página oficial no Twitter.

Vini Jr. ouviu parte da torcida do Valência o xingar de macaco no segundo tempo / Divulgação


"Não foi a primeira vez, nem a segunda e nem a terceira. O racismo é o normal na La Liga. A competição acha normal, a Federação também e os adversários incentivam. Lamento muito. O campeonato que já foi de Ronaldinho, Ronaldo, Cristiano e Messi hoje é dos racistas. Uma nação linda, que me acolheu e que amo, mas que aceitou exportar a imagem para o mundo de um país racista. Lamento pelos espanhóis que não concordam, mas hoje, no Brasil, a Espanha é conhecida como um país de racistas. E, infelizmente, por tudo o que acontece a cada semana, não tenho como defender. Eu concordo. Mas eu sou forte e vou até o fim contra os racistas. Mesmo que longe daqui", disse.


Vini Jr. ouviu parte da torcida do Valência o xingar de macaco no segundo tempo. Ele apontou para o local da arquibancada de onde vinham os insultos e o árbitro Ricardo de Burgos decidiu paralisar a partida, que foi retomada após um pedido pelo fim das manifestações racistas reproduzido pelo sistema de som do estádio. Mais tarde, em uma confusão generalizada, Vinícius deixou o braço no rosto de Hugo Duro e foi o único jogador expulso já nos acréscimos.


Titular na derrota do Real Madrid, o meia Dani Ceballos repudiou os insultos racistas sofridos por Vinícius Júnior. Ele afirmou que o brasileiro vem sofrendo racismo durante todo o torneio e pediu medidas mais fortes por parte da La Liga.


"Não é novidade. Vinícius é desrespeitado constantemente em todos os campos da Espanha. Temos que cuidar disso, porque é um desrespeito para a nossa liga e para o nosso clube. Espero esperançosamente que a Liga o proteja e que possamos ver o melhor de Vinícius Júnior", disse o meia.

Ceballos ainda revelou que o técnico Carlo Ancelotti chegou a perguntar se Vinícius Júnior queria continuar na partida após os insultos. Mais tarde, o brasileiro acabou expulso após ser provocado por jogadores do Valencia. "O treinador perguntou se ele queria continuar jogando. Vinícius é profissional e disse que queria continuar ajudando a equipe. Eles não podem sair ilesos", afirmou.


Já o goleiro Courtois afirmou que estava disposto a comprar a briga do brasileiro caso ele se recusasse a continuar jogando. "Se ele tivesse decidido parar, eu teria ido com ele porque é algo que não podemos tolerar. Houve um ato de racismo. Há alguns anos, o Valencia denunciou um jogador do Cádiz pelo mesmo e agora está acontecendo isso aqui. Houve barulho de 'macaco'... não podemos tolerar isso", afirmou.

O técnico Carlo Ancelotti também criticou os atos racistas e defendeu enfaticamente que o jogo deveria ter sido paralisado imediatamente. "Ele não era o culpado, ele era a vítima. O estádio gritou 'macaco' para um jogador e a partida deveria ter sido interrompida naquele momento", disse.

O treinador também comentou sobre as provocações de Vinícius Júnior aos torcedores do Valencia. O jogador saiu de campo fazendo gestos de segunda divisão, uma vez que o clube briga contra o rebaixamento no Campeonato Espanhol. "A reação é bastante normal para um jogador que sofreu insultos racistas de todo o estádio. A situação é bastante clara", comentou Ancelotti


São muitos os episódios de racismo contra Vini Jr e poucas as punições da LaLiga, responsável por organizar o Campeonato Espanhol. Depois de o jogador manifestar sua insatisfação publicamente, algumas medidas começaram a ser tomadas. Recentemente, o brasileiro depôs na Justiça espanhola no âmbito do caso em que foi xingado de "macaco" por um torcedor do Mallorca em fevereiro deste ano.


Estadão Conteúdo.


11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page